NOROESTE

Menina que caiu em buraco <br>morre na Santa Casa

Bebê caiu de cabeça e ficou soterrada
17/05/2019 15:01 - FÁBIO ORUÊ


 

Jeniffer Lara, de 1 ano e 2 meses, que caiu de cabeça dentro de um buraco, no Jardim Noroeste, em Campo Grande, no final da manhã de hoje (17), morreu após ser encaminhada para a Santa Casa da Capital.

Conforme informações do Corpo de Bombeiros, a criança ficou cerca de 50 minutos sendo reanimada pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), ainda no local.

Segundo o Tenente Wagner Moreira Lopes, do Corpo de Bombeiros, os socorristas conseguiram restabelecer o pulso da criança e ela foi encaminhada para a unidade hospitalar, mas a criança não resistiu. As causas da morte ainda estão sendo apuradas.

QUEDA

Conforme informações apuradas pelo Correio do Estado, ela estaria brincando com os irmãos no momento do acidente. Na casa, além dela, moram outras cinco crianças. A mãe, de 31 anos, contou que estava cuidando para que elas não fossem para a rua, em frente à residência, quando os vizinhos avisaram que a menina havia caído na vala, aos fundos.

O buraco em questão, é de uma construção onde será construído um muro, por isso a fenda. A matriarca correu e tentou resgatá-la, mas mais terra caiu sobre a bebê. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e várias viaturas do corpo de bombeiros foram acionadas, e a criança foi resgatada ainda com vida. O processo de reanimação dela durou cerca de 50 minutos, já que ela ainda é frágil e perdia o pulso facilmente.

*Colaborou Valdenir Rezende 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".