Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 10 de dezembro de 2018

MORREU NO HOSPITAL

Menina agredida em escola esperou socorro
por mais de uma hora, dizem vizinhos

Gabriela, de 10 anos, morreu na manhã de hoje, na Santa Casa

6 DEZ 2018Por TAINÁ JARA17h:44

Vizinhos que auxiliaram Gabriela Ximenes de Souza, 10 anos, depois de ser agredida pelas colegas da Escola Estadual Lino Villacha, no Bairro Nova Lima, onde estudavam, no dia 29 de novembro, relataram demora de mais de uma hora da ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A menina morreu na manhã desta quinta-feira (6) no pronto-socorro da Santa Casa.

Proprietária de uma loja de roupas, na esquina da Rua Jerônimo de Albuquerque com a Rua Bertolino Cândido, próximo de onde a briga teria ocorrido, Luciene Brito, 39 anos, foi um das que ajudou a socorrer a menina. “Ela chorava muito. Dizia que estava sentido muitas dores nas costas, então deitamos ela na calçada até o socorro chegar. Chovia muito e socorro demorou. Mas, não imaginamos que fosse algo grave desse jeito”.

A menina teria sido agredida por duas meninas com mochilas de carrinho, porém, não foi verificado pelas pessoas que a socorreram ferimentos externos. “Ela era magrinha e pequenininha. Mas achamos que ela chorava bastante mais pelo susto”, afirmou Luciene. 

Gabriela foi encaminhada ao hospital e, após ser atendida, recebeu alta para repouso em sua casa. Nesta manhã,  a criança sentiu muitas dores e foi levada à Santa Casa novamente, onde após complicações, morreu.  

Conforme a assessoria da Santa Casa, no dia da agressão, a criança foi atendida e apresentou hematomas por pancadas nas costas, mas não foi constatado nenhum órgão interno afetado ou fratura visível. Ela recebeu medicamentos contra infecção e foi liberada. 

Já nesta manhã, após retornar ao pronto-socorro, a menina apresentou uma ‘infecção no quadril’ e foi encaminhada às pressas para a sala de operação. Quando ela já estava na sala para o procedimento, teve oito paradas cardíacas, vindo a óbito. 

O caso foi registrado na delegacia de plantão do Centro. Em nota, a Secretaria de Estado de Educação (SED) informou, por meio de nota, que está ciente de todos os acontecimentos e que, embora não tenha acontecido dentro do ambiente escolar, equipe está acompanhando o caso por intermédio da Coordenadoria de Gestão Escolar.

O Samu informou que prestou atendimento médico prioritário e a viatura deslocada à ocorrência, relatou que a paciente apresentava-se consciente, orientada e diante de dores em coluna torácica, foi encaminhada, prontamente, para a Santa Casa.

"O tempo de deslocamento da viatura o acionamento do 192 está dentro do tempo protocolar e dos parâmetros aceitos. É importante reforçar que o quadro inicial apresentado pela paciente não era de extrema gravidade, tanto que a mesma veio a falecer seis dias após o ocorrido na Santa Casa por razões a serem apuradas. Reforçando que o SAMU atendeu em tempo célere", disse o Samu, em nota.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também