Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

Alma Pantaneira

Médicos voluntários devem atender 500 pessoas em expedição no Pantanal

Eles vão percorrer 1.800 quilômetros entre MS e MT

9 NOV 2018Por RENAN NUCCI09h:41

A Expedição Alma Pantaneira – Médicos do Pantanal, embarca amanhã para levar atendimento médico, odontológico e veterinário gratuito aos moradores do Pantanal. Nesta sexta-feira, o grupo carrega os veículos em Campo Grande e amanhã pela manhã pega estrada para Poconé, no Mato Grosso, onde fará as primeiras consultas, seguindo até a região de Corumbá, totalizando percurso de 1,8 mil quilômetros. 

Ao todo, 22 profissionais voluntários viajam em sete caminhonetes e dois jipes levando toneladas de bagagens, equipamentos médicos, insumos e doações. Só de medicamentos são 500 quilos.

O grupo conta com apoio do Exército Brasileiro e da Marinha que, além da logística, também disponibilizam recursos humanos, veículos e materiais hospitalares. A iniciativa, que chega a sua sétima edição neste ano, deve atender aproximadamente 500 pessoas e realizar 1,5 mil procedimentos diversos em 10 dias. 

“No Pantanal existem muitas pessoas carentes que não têm acesso à saúde. Por isso, a importância do nosso trabalho também no sentido de prevenção”, disse o arquiteto Geraldo Albanese, voluntário e um dos criadores do Alma Pantaneira juntamente com o filho Valdir Albanse, médico. 

A base de trabalho dos Médicos do Pantanal é oferecer cuidado às pessoas necessitadas, que sofrem com epidemias, emergências, desnutrição e exclusão do acesso à saúde. “É uma sensação de gratidão muito grande, de ver o rosto das pessoas e saber que estamos fazendo a diferença”, afirmou o médico Paulo César Abud, clínico-geral e emergencista.

A veterinária Aline Rohr diz que muitas moradores estão expostos às doenças transmitidas por animais. “Atuamos em casos de saúde pública, no caso as zoonoses, doenças que podem ser transmitidas a seres humanos, como raiva e leishmaniose, além de parasitas e vermes”. 

Os veterinários também fazem pequenos procedimentos, como curativos e vacinação. Junto com toda a assistência de saúde, os voluntários vão distribuir ainda doações, como roupas, calçados e brinquedos. “A gente fez uma grande arrecadação com uma campanha no Facebook, e conseguimos muitos produtos. Poder ajudar é uma realização pessoal, muito gratificante”, destacou Aline.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também