CAMPO GRANDE

Manifestação contra reforma e cortes na educação reúne duas mil pessoas

Grupo se reuniu na UFMS e saiu em passeata pelas ruas do entorno da universidade
15/05/2019 10:47 - GLAUCEA VACCARI E NATALIA YAHN


 

Cerca de duas mil pessoas, entre professores e alunos de universidades e das redes estadual e municipal, participam de protesto em frente a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. A manifestação ocorre nacionalmente, em protesto contra a Reforma da Previdência, contra o corte de verbas para as universidades e pela negociação salarial dos administrativos da educação.

Com cartazes e carro de som, o grupo se concentrou dentro do campus e iniciou passeata pela avenida Costa e Silva, percorreram o viaduto que passa ao lado do Morenão, desceu novamente a Costa e Silva e seguem em direção ao Terminal Morenão. O ato foi organizado pela Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems) e a estimativa de participantes foi feita pela Polícia Militar.

Aluno do curso de Psicologia da Federal, Caio Cunha, 22 anos, disse que a manifestação é uma forma de demonstrar descontamento e cobrar melhorias. “Quando o País não está da forma como a gente idealiza, o protesto é essencial”, disse.

A professora da rede estadual, Nádia Gaúna, 30, também participa do ato e afirma que a verba para as universidades é de suma importância. Ela leciona Biologia há seis anos e fez mestrado com bolsa de estudo, na Universidade de São Paulo (USP), porque, segundo ela, na época era um Estado que tinha mais recursos. “[A bolsa] foi o que possibilitou me aperfeiçoar e hoje estar dando aula”, disse.

Marido de Nádia também é professor, de Química, e comenta que com o corte de verba acabará totalmente o recurso para a pesquisa, que é essencial na área.

Já o professor do curso de Filosofia da UFMS, Weiny César Freitas, afirmou que a manifestação já estava marcada antes do anúncio do contingenciamento orçamentário na educação, mas que essa questão se incluiu na pauta de reivindicações.

“É preocupante [a situação] e por isso a movimentação se faz tão necessária, para reivindicar a previdência e os cortes”, disse.

CORTES NO ORÇAMENTO

O corte de verba nas instituições federais de ensino ultrapassa os R$ 59,1 milhões em Mato Grosso do Sul. O anúncio do corte de 30% foi feito pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, no dia 31 de abril e atinge todas as universidades e institutos federais do País.

O corte de verbas nas universidades federais do Estado começou quase um mês antes do anúncio feito pelo ministro da Educação. No início de abril, o governo federal já tinha bloqueado R$ 89,7 milhões em emendas parlamentares previstas para serem destinadas às instituições do Estado.

Somados aos R$ 59,1 milhões, referentes ao corte de 30%, são R$ 148,8 milhões sem perspectiva de ser repassado às instituições federais de ensino. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".