Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SAÚDE PÚBLICA

Mandetta libera R$ 3,8 milhões para hospitais universitários de MS

Recursos podem ser para comprar medicamentos e insumos
24/10/2019 17:51 - ADRIEL MATTOS


O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), autorizou a liberação de R$ 79,5 milhões para custear todos os hospitais universitários federais do Brasil. Para Mato Grosso do Sul, serão enviados R$ 3,8 milhões para as unidades de Campo Grande e Dourados, conforme portaria publicada na edição desta quinta-feira (24) no Diário Oficial da União.

Esses recursos, que são do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), podem ser aplicados na compra de medicamentos, materiais médico-hospitalares, produtos para a saúde, insumos e serviços essenciais; com o objetivo de dar condições necessárias às unidades de oferecer atendimento de qualidade e proporcionar uma formação mais qualificada para profissionais da área de saúde.

O Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap-UFMS), em Campo Grande, vai receber R$ 1,9 milhão. Já o Hospital Universitário da Grande Dourados (HU-UFGD), na cidade homônima localizada no sul do estado, contará com R$ 1,8 milhão. Segundo a publicação, os recursos serão liberados após a comprovação da liquidação dos empenhos emitidos à conta dos créditos descentralizados, de forma a não comprometer o fluxo de caixa do Fundo Nacional de Saúde.

De acordo com o gerente administrativo do Humap-UFMS, Carlos Alberto Coimbra, a verba de custeio do Rehuf é utilizada para manter os estoques da unidade. “O custeio tem ajudado no abastecimento de materiais médicos, produtos para áreas especializadas, órteses, próteses e materiais especiais de forma a manter as atividades essenciais de assistência e educação, visto que o hospital é referência para o atendimento de urgência, emergência, alta complexidade e diversas especialidades na região”, ressaltou.

Felpuda


Prefeitura de município do interior de MS recebeu recomendação do Ministério Público do Estado no sentido de exonerar servidores comissionados, livres do cartão de ponto, que são parentes de secretários da administração e de vereadores. O nepotismo se tornou um excelente “negócio” por lá, e se até o dia 6 de agosto as devidas providências não forem tomadas, medidas serão adotadas, como ação por improbidade administrativa. Tem gente que não aprende mesmo, né?