DÓCIL

Macaco brinca na MS-134 e chama atenção de motoristas

Animal foi visto na rodovia que liga Batayporã e Nova Andradina
05/08/2015 15:11 - NILCE LEMOS


 

Um macaco chamou a atenção de vários motoristas que passaram pela rodovia MS-134, entre as cidades de Nova Andradina e Batayporã (MS). O animalzinho fez tanto sucesso que alguns motoristas foram obrigados a parar os veículos para que o bicho não fosse atropelado.

Uma equipe do site Nova News, que retornava da cidade de Batayporã, percebeu o movimento e parou para ver o que acontecia. No local, um jovem estava com o carro parado e, segundo ele, por várias vezes o animal tentou entrar no veículo. O motorista relatou que parou devido às estripulias que macaco fazia, correndo de um lado para outro.

“Fiquei preocupado, pois temi que o bichinho fosse atropelado. Ele corria de um lado para outro da pista”, disse o jovem. A reportagem percebeu que o animal era dócil, ou seja, não temia a presença das pessoas que paravam e se aproximavam para tirar fotos.

De acordo com o site, Maria Luiza, 32 anos, foi outra que parou para ver oque ocorria. A viajante ficou encantada com o animal e disse que costumava ver aquele tipo de cena apenas em zoológicos, mas jamais em plena rodovia. Uma pessoa que observava as brincadeiras do macaco entrou em contato com a Polícia Militar Ambiental (PMA) da cidade de Batayporã.

Na manhã desta quarta-feira (05), a equipe do site entrou em contato com os militares para saber o destino do animal e foram informados que a PMA estive no local monitorando o macaco até ele seguir seu destino.

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".