Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

NIOAQUE

Líder comunitária é multada em R$ 24 mil por extração de madeira protegida

PMA recebeu denúncia sobre exploração de aroeira

14 JUN 2018Por ALINE OLIVEIRA15h:50

Uma moradora do assentamento Andalucia (Associação Marçal de Souza), localizado no municipio de Nioaque foi presa em flagrante por crime ambiental, por extrair 48 árvores de aroeira, espécie protegida por lei e considerada de alto valor comercial. Nilzete é presidente da associação de moradores e confirmou a infração.

Questionada pela equipe da Polícia Militar Ambiental (PMA) de Aquidauana, que atendeu a ocorrência, a líder comunitária informou que recebeu a proposta de um morador do assentamento, apelidado de 'Neguinho'. 

O suposto vizinho fez a proposta para que Nilzete auxiliasse na retirada das árvores localizadas na margem esquerda do rio Taquarussu, as quais seriam vendidas e o dinheiro obtido dividido em partes iguais. 

No entanto, a mulher não soube informar quanta madeira foi retirada, o destino e se o produto já tinha sido comercializado.  Enquanto conversavam com a mulher, os policiais perceberam que o companheiro correu para dentro da casa em atitude suspeita. Perguntado, informou que escondera uma espingarda embaixo da cama. A arma calibre 24 com munição, que não possuía documentação foi apreendida.

A madeira e uma motosserra foram apreendidos. A infratora foi conduzida à delegacia de Polícia Civil de Nioaque para responder por crime ambiental de exploração ilegal de madeira em área protegida, com pena de um a três anos de detenção e por posse ilegal de arma, com pena de um a três anos de detenção. Ela também foi autuada administrativamente e foi multada em R$ 24.000,00.

 

Leia Também