Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRÂNSITO

Lentidão no trânsito marca início de obras em rotatória

Previsão é que primeira parte dos trabalhos seja concluída em dezembro
07/11/2019 16:54 - ADRIEL MATTOS


 

Começaram nesta quinta-feira (7) as obras de requalificação da rotatória da rua Joaquim Murtinho com a avenida Eduardo Elias Zahran, em Campo Grande. Metade da pista da rua Joaquim Murtinho, no sentido para a avenida Eduardo Elias Zahran, foi interditada, o que deixou o trânsito mais lento.

A Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran) indica como uma rota alternativa é ir pela avenida Ricardo Brandão, depois rua Nova Era e por fim, a rua Cayova para ir em direção à avenida Eduardo Elias Zahran. “Só quem precisa ir à escola, ao terminal ou qualquer outro lugar que trafegue por ali. Quem apenas passar, procure rotas alternativas”, disse o diretor-presidente da Agetran, Janine de Lima Bruno. 

No cruzamento com a avenida Eduardo Elias Zahran, a previsão é que as obras da primeira rotatória sejam concluídas no início de dezembro. Já a da Ceará/Joaquim Murtinho será substituída por alças de acesso com semáforos.

Nesta primeira rotatória, a solução para garantir fluidez ao tráfego será a instalação de semáforos, projeto semelhante ao adotado nas rotatórias da Mato Grosso/Via Parque e da Interlagos/Gury Marques. Já a da Ceará/Joaquim Murtinho será substituída por alças de acesso com semáforos. Ao todo, as obras nos dois locais devem custar R$ 819,9 mil. Por dia, circulam mais de 68 mil veículos nessas vias.

Nesta região onde será feito o reordenamento viário, o volume de tráfego, de 68 mil veículos,  é maior que o registrado nas rotatórias das avenidas Mato Grosso/ Nelly Martins (38 mil veículos/dia) e da Interlagos com a Gury Marques (44 mil  veículos/dia), que receberam semaforização. Na Ceará/Joaquim Murtinho, com a readequação, não haverá restrição a nenhuma conversão feita atualmente na estrutura com formato de rotatória.

Felpuda


Vereador de Campo Grande fez pronunciamento com forte teor preconceituoso que obviamente não agradou, principalmente as mulheres. A repercussão negativa foi grande e ele teve de ler cobras e lagartos em seu perfil nas redes sociais. Assim, correu para publicar nota de esclarecimento tentando colocar panos quentes e se comprometendo a, já na próxima sessão, solicitar a retirada de sua fala dos chamados “anais da Casa”. Também, pudera!