Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SUPOSTO CARTEL

Ladrões invadem sede do Procon e furtam pesquisa de preço dos combustíveis

Órgão de defesa do consumidor investiga formação de cartel dos donos de postos
20/02/2020 08:42 - Eduardo Miranda, Ricardo Campos Jr


 

Criminosos invadiram a sede da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon-MS), localizada na Rua 13 de Julho, Centro de Campo Grande, na madrugada desta quinta-feira (20). Conforme os primeiros relatos, os bandidos furtaram um computador que continha os dados da pesquisa com o preço dos combustíveis realizada no Estado.  

Peritos do Institutos de Criminalística estão no local, fazendo a perícia do local supostamente invadido por ladrões. Os criminosos entraram pelo teto do cartório do órgão de defesa do consumidor.  

A pesquisa começou a ser feita na semana passada, e tinha o objetivo de identificar os postos de combustíveis que estariam cobrando preços abusivos do consumidor. Na tarde de quarta-feira (19), o superintendente do Procon, Marcelo Salomão, foi ao Ministério Público de Mato Grosso do Sul para oferecer os dados da pesquisa, que indicavam a formação de um suposto cartel dos donos de postos de combustível.

Desde o dia 12 deste mês, quando houve alteração nas alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da gasolina (subiu de 25% para 30%) e do etanol (caiu de 25% para 20%), que o Procon deu início a uma blitz nos postos de combustíveis. Houve mais de 50 notificações.  

No último domingo, a Agência Nacional do Petróleo, em sua pesquisa semanal, adiantou parte do resultado da pesquisa do Procon que foi furtada: apesar da redução da alíquota do imposto sobre o etanol, o preço do combustível subiu, acompanhando o preço da gasolina. A pesquisa do Procon, porém, era mais completa, com mais informações sobre preços de custo praticados pelos donos de postos, impostos recolhidos no período e preço oferecido ao consumidor.  

O suposto cartel (combinação de preços) dos donos de postos de combustível também é investigado pela Delegacia Especializada de Proteção ao Consumidor (Decon).   

 
 

Felpuda


Malfeitos que teriam sido praticados em tempos não tão remotos podem ser a pedra no caminho de pré-candidatura que está sendo costurada. As conversas ainda estão nas “ondas da rádio-peão”, mas, com a proximidade da campanha eleitoral, há quem diga que isso se tornará uma tremenda dor de cabeça para quem vai enfrentar as urnas. Pior:  o dito não seria culpado direto, mas sim a sua...  Bem, deixa rolar para ver onde vai parar.