Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 19 de outubro de 2018

Falso frete

Ladrões de caminhão amarram motoristas junto com familiares em árvore

Autores contrataram vítimas mediante golpe conhecido como falso frete

14 JUN 2018Por RENAN NUCCI06h:55

Dois motoristas e familiares passaram por momentos de tensão durante roubo de caminhão ocorrido na manhã de ontem, no município de Rochedo, por meio do golpe do falso frete. As vítimas foram rendidas e amarradas em uma árvore no mato, enquanto os criminosos, armados, fugiam com dois veículos. 

Segundo registrado no boletim de ocorrência, um dos motoristas, de 33 anos, informou que trabalha como autônomo e que estava em um grupo de colegas caminhoneiros, quando chegou mensagem informando sobre oportunidade de frete. O serviço seria carregar blocos de cimento e formas de meio-fio em Rochedo, para entregar em Corumbá.

Ele explicou que entrou em contato e falou com um homem identificado como Marco, suposto representante de uma transportadora. O suspeito teria combinado o valor de R$ 4.400 de frete para cada carreta, sendo que seria transferido 80% no ato do carregamento e o restante quando a entrega fosse concluída.

Após acordo, o motorista acionou o colega e eles se deslocaram de Corumbá, onde residem, para o endereço passado via WhatsApp, em Rochedo. Por volta das 10h30 da manhã ele chegou ao local e foi abordado por um homem de aproximadamente 40 anos, que lhe rendeu com uma arma de fogo e disse para não olhar.

O autor anunciou o assalto e mandou o motorista descer do caminhão e ir na direção do mato. Chegando na mata, a vítima viu que o colega, a esposa e os filhos estavam amarrados em uma árvore. Depois de ser preso no local, percebeu que os criminosos fugiram com os veículos. Eles perceberam que haviam pelo menos dois ladrões lá. Alguns momentos depois, conseguiram se libertar e denunciaram o roubo.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também