Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

Luz da Infância

Justiça mantém prisão de vendedor e advogado envolvidos com pedofilia

Prisões em flagrantes ocorridas na sexta-feira passada foram convertidas

23 OUT 2017Por RENAN NUCCI10h:38

Durante audiência de custódia na manhã desta segunda-feira, o juiz Paulo Afonso de Oliveira, da 2ª Vara Cível de Campo Grande, decretou a prisão preventiva de um vendedor de carros de 27 anos e de um advogado de 64 anos. Ambos foram presos em flagrante pela Polícia Civil na semana passada, em megaoperação contra práticas relacionadas à pedofilia, como armzenamento e distribuição de imagens pornográficas com crianças.

O vendedor foi preso em casa, no Bairro Guanandi, onde a polícia localizou um revólver calibre 22 e 70 gramas de maconha. O computador dele foi recolhido e encaminhado para perícia. Em sua defesa, alega que baixou um pacote de pornografia porque estava com depressão, e que não imaginava haver arquivos com menores. O advogado foi detido no próprio escritório, localizado na Vila Rosa, onde houve apreensão de dispositivos de armazenamento.


LUZ DA INFÂNCIA

A Polícia Civil cumpriu três mandados de busca e apreensão na Capital na última sexta-feira. A ação fez parte de uma mobilização nacional entre a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), órgão ligado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, com a Polícia Civil dos demais estados e do Distrito Federal. Os alvos foram pessoas que armazenam e compartilham imagens de caráter sexual envolvendo crianças e adolescentes. O número de presos passou de 100.

O nome Luz na Infância foi escolhido porque a internet facilita crimes em decorrência da pedofilia e, via de regra, "os criminosos atuam nas sombras, nos 'guetos' da rede mundial de computadores. Luz significa propiciar a essas crianças e adolescentes- vítimas- o resgate da sua dignidade bem como retirar da obscuridade esses criminosos".

Leia Também