Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

28 TONELADAS

Justiça manda incinerar maior apreensão de droga da história em Mato Grosso do Sul

Foram para os fornos de usina, 28 toneladas de maconha
22/05/2020 11:18 - Bruna Aquino


A maior apreensão de maconha já feita por forças federais em Mato Grosso do Sul foi levada para processo de incineração nos fornos de usina em Dourados nesta sexta-feira (22). O carregamento foi apreendido em Tacuru na última quarta-feira pela Polícia Federal numa ação conjunta com a Polícia Rodoviária Federal. 

Segundo a PF, só neste ano, já foram realizadas duas operações para destruição de drogas apreendidas que, somadas a esta de hoje, somam cerca de 60 toneladas incineradas em em 2020.

A queima das toneladas de maconha foi agilizada por razões de segurança pela  Justiça Federal, Justiça Estadual, Ministério Público e Vigilância Sanitária de Mato Grosso do Sul. 

Com apoio da Força Nacional, foram utilizadas oito viaturas para escolta da carreta com a droga, com equipe de 18 policiais, sendo nove policiais federais e nove policiais da Força Nacional. 

APREENSÃO
A abordagem teve início em Ponta Porã, quando policiais federais desconfiaram do comportamento de um dos hóspedes de um hotel da cidade. Ao acompanhar o indivíduo, identificaram que ele tinha a carteira de habilitação do tipo “E”, própria para dirigir carretas. 

 Com auxílio da PRF, caminhão foi abordado e, em vistoria na carga, foi constatada a existência de vários pacotes de maconha escondidos sob a carga de milho. Preso, o motorista de 38 anos disse que pegou o veículo já carregado para fazer o transporte e receberia R$ 40 mil no ato da entrega. 

 
 

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?