Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

DOURADOS

Justiça aceita denúncia contra cinco por fraude em licitação de R$ 2 milhões

Réus subornaram empresa para vencer concorrência

20 NOV 19 - 18h:11ADRIEL MATTOS

A 1ª Vara da Justiça Federal em Dourados, cidade no sul de Mato Grosso do Sul aceitou denúncia do Ministério Público Federal (MPF) e do Ministério Público do Estado (MPMS) contra cinco pessoas acusadas de uma licitação para fornecimento de alimentação hospitalar de R$ 2 milhões. Um dos réus é o ex-secretário municipal de Saúde de Dourados, Renato Vidigal.

Vidigal foi preso preventivamente no dia 6 de novembro, na segunda fase da Operação Purificação, da Polícia Federal (PF), que investiga a fraude. Na época, ele era coordenador do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) na cidade. Seis dias depois, ele foi transferido para a Penitenciária Estadual de Dourados (PED), e exonerado do cargo no dia 13.

O então secretário e mais quatro pessoas, duas delas funcionárias da pasta e uma gerente da Fundação de Serviços de Saúde (Funsaud), agiram em conjunto para desviar recursos destinados para a contratação de empresa para fornecimento de alimentação hospitalar. Para isso, eles fraudaram uma licitação, falsificaram documentos e subornaram uma empresa para que não participasse da licitação.

HISTÓRICO

Segundo a denúncia, em 2017, Vidigal adquiriu uma empresa de alimentação, por meio de “laranja”, com o objetivo de participar da licitação, realizada pela Funsaud. A empresa foi aberta em 2013 e encerrou as atividades em 2014, apesar de manter o CNPJ ativo na Junta Comercial de Mato Grosso do Sul (Jucems). Em março de 2017, já sob “gerência” de Vidigal e Rafhael Henrique Torraca Augusto, o “Pardal”, a empresa apresentou proposta em um processo sem licitação com o menor preço por unidade de marmitex, com prazo de entrega e início da execução imediatos.

O contrato foi firmado pelo valor de R$ 127 mil, com validade de um mês. Mas a empresa não estava em pleno funcionamento e, por isso, não teria condições de cumprir com o que havia sido estabelecido no contrato. Nesta fase, os envolvidos no esquema chegaram a comprar refeições em outros restaurantes, por valores bem abaixo do informado na cotação.

Logo depois, a Funsaud promoveu uma licitação para a contratação de empresa de alimentação, com duração de um ano. A empresa foi a única concorrente no processo, e acabou vencendo com uma proposta de R$ 1,7 milhão. O contrato ainda recebeu um aditivo de R$ 348 mil.

Durante as investigações, ficou comprovado que os cinco denunciados chegaram a agir em conjunto para afastar uma outra empresa licitante, por meio de suborno. Também se confirmou que o grupo apresentou documentos falsos para provar que havia capacidade técnica para a prestação do serviço. E por meio de saques de dinheiro em espécie, foram desviados pelo menos R$ 532 mil.

Os cinco réus responderão na Justiça pelos crimes de organização criminosa, fraude à licitação e afastamento de licitante, tudo isso majorado no caso dos funcionários públicos que ocupavam cargo em comissão ou função de confiança, e também peculato.

OPERAÇÃO

Em fevereiro, a PF deflagrou a operação Purificação, para combater a corrupção em processos de licitação de refeições em unidades de saúde de Dourados, conforme noticiou o Correio do Estado na época. O nome da operação refere-se a depurar, expurgar, sanear, os processos licitatórios no âmbito da Administração Pública com verba federal.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Motorista fica presa às ferragens após capotar carro na Capital
ACIDENTE

Motorista fica presa às ferragens após capotar carro na Capital

Fim de ano terá 450 policiais de setores administrativos reforçando segurança
BOAS FESTAS

Operação terá reforço de 450 PMs de áreas administrativas

Dois homens são executados com mais de 30 tiros na fronteira
PONTA PORÃ

Dois homens são executados com mais de 30 tiros na fronteira

Servidores protestam após revogação de reajuste salarial
ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Servidores protestam após revogação de reajuste salarial

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião