Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

HOMICÍDIO

Dupla chega em moto, atira <br>e mata homem em residência

Vítima já foi presa em 2013 por assalto em Dourados
29/07/2017 10:48 - BRUNA AQUINO


 

Adalto Aparecido Alves, de 41 anos, foi morto com quatro tiros na tarde de ontem (28), na residência onde morava, no Bairro Piratininga, em Dourados. Dois jovens de motocicleta chegaram no local e um deles disparou cinco vezes na vítima, que não resistiu aos ferimentos e morreu. Adalto Aparecido já foi preso por assalto no Bairro Monte Carlo, em outubro de 2013.

Consta em boletim de ocorrência, que vítima estava em casa, quando dois jovens chegaram na residência, ambos de motocicleta Biz. Um entrou no imóvel, enquanto o outro ficou do lado de fora esperando. Criminoso disparou cinco vezes em direção a vítima e quatro tiros atingiram Adalto na barriga, torax, costas e braço esquerdo. Após o crime, dupla fugiu. 

Conforme testemunhas, um dos jovens é moreno, magro, vestia camiseta vermelha, calça jeans e conduzia a moto Biz C100. Enquanto o outro jovem, magro e branco, vestia camiseta vermelha e shorts jeans, conduzia a moto Biz C125.

De acordo com a polícia, familiares da vítima não souberam informar quem poderia ter cometido o crime e vizinhos informaram que nunca viram os jovens no bairro. Caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) em Dourados e será investigado.

Assalto em 2013

Adalto Aparecido Alves já foi preso em 2013, por equipe da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron), durante assalto a uma residência no Bairro Monte Carlo, em Dourados. Na época, com 37 anos, Adalto agiu com comparsa de 17 anos. Ambos abordaram mulher e os dois filhos menores de idade.

No assalto, dupla levou aparelhos eletrônicos e o veículo Vectra da vítima, mas antes da fuga, deixaram os três trancados no banheiro. Ele negou o crime, mas chegou a ser preso por posse ilegal de arma e indiciado por assalto. 

Felpuda


Vereador de Campo Grande fez pronunciamento com forte teor preconceituoso que obviamente não agradou, principalmente as mulheres. A repercussão negativa foi grande e ele teve de ler cobras e lagartos em seu perfil nas redes sociais. Assim, correu para publicar nota de esclarecimento tentando colocar panos quentes e se comprometendo a, já na próxima sessão, solicitar a retirada de sua fala dos chamados “anais da Casa”. Também, pudera!