Terça, 20 de Fevereiro de 2018

CASO HALLEY

Inquérito de assassinato em Três Lagoas depende de conclusão do laudo

Dia 14 completa um mês que Ottoni matou a esposa e cometeu suicídio

14 FEV 2018Por ALINE OLIVEIRA17h:39

A finalização do inquérito com as informações do assassinato de Halley Coimbra, morta em 14 de janeiro pelo marido, Renato Bastos Ottoni, depende dos laudos periciais elaborados pelo Instituto Médico e Odontológico Legal (Imol) que ainda não estão concluídos. 

Segundo informações do portal JP News, a delegada responsável, Letícia Mobis, informou que depende desta finalização para encaminhar o documento ao Ministério Público de Três Lagoas. O inquérito contém relatos de policiais militares e civis que registraram a morte de Halley, na casa da família, em um bairro da zona Leste da cidade. 

A mulher levou três tiros disparados  por Ottoni, com um revólver, na cozinha da casa. O engenheiro tentava convencer a mulher a reatar o casamento, desfeito no final do ano passado. Na ocasião do crime, as filhas da vítima testemunharam o assassinato, a mais velha com 15 anos e duas mais novas, fruto do relacionamento com Ottoni.

O corpo do engenheiro foi encontrado dentro de um carro, na zona rural de Castilho (SP), dois dias depois. O suicídio, segundo estimativa da delegada, pode ter sido cometido no mesmo dia e com a mesma arma. 

BUROCRACIA

A demora no envio dos laudos à Polícia Civil é resultado da falta de funcionários para o registro de laudos elaborados por médicos. A reportagem apurou que o órgão permaneceu ao menos três semanas sem técnicos deste setor, desde a aposentadoria de um e a sequência de períodos sem expediente, em função do feriado de carnaval.

Ainda de acordo com a reportagem do JP News, o inquérito do caso Halley deve ser encaminhado à Delegacia da Mulher, até amanã (15), e o prazo médio de conclusão das necropsias ficará pronto em 10 dias. 

*Com informações do JP News

 

Leia Também