PROTESTO

Indígenas prometem fechar MS-156 contra falta de policiamento

Jaguapiru e Bororó querem mais policiamento nas aldeias
08/09/2015 14:40 - NILCE LEMOS


Indígenas das aldeias Jaguapiru e Bororó prometem fechar a MS 156 entre Dourados e Itaporã nesta quarta-feira, em protesto contra a falta de policiamento na Reserva Indígena e aumento da violência.

De acordo com o líder do Conselho Indígena, Silvio Leão, ao site Dourados Agora, apesar da Operação da PF e da PM, os indígenas querem policiamento permanente na Reserva. Segundo eles esta atuação não vem ocorrendo mesmo depois da Justiça Federal ter determinado o retorno dos trabalhos da Força Nacional em julho deste ano.

Silvio disse a reportagem que as lideranças estão preocupadas porque, sem a polícia na Reserva, os índices de violência só aumentam. Segundo ele, as lideranças se esforçam para resolver algumas situações, mas sem poder de polícia, em muitas situações nada podem fazer.

“O grau de violência é tanto que existem índios armados com foices invadindo casas para roubar e fazer vandalismo. Somente na semana passada foram 4 registros”, destaca.

Ao site, ele disse que o movimento fechará a MS 156 até que alguma autoridade estadual ou federal se manifeste a respeito. “Estamos cansados de esperar uma resposta que nunca vem”, destaca, observando que postos de saúde e escolas serão fechados neste dia para que todos possam participar da manifestação.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".