Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

RECAPEAMENTO

Inaugurada há dois anos, Euler de Azevedo passa por reparos

Asfalto de obra concluída em 2018 estava afundando e parte dele será recapeado
06/06/2020 09:46 - Gabrielle Tavares


 

Inaugurada há dois, a obra de duplicação de trechos da MS-080 e de parte da Avenida Euler de Azevedo, em Campo Grande, já passa por recapeamento. A obra, realizada pelo governo do Estado, custou R$ 16,1 milhões aos cofres públicos.  

Depois de verificar afundamento no asfalto e o surgimento de alguns buracos na pista, a empresa responsável começou a fazer reparos na pista sexta-feira passada (29) e continuou nesta manhã (5). Serviço está em prazo de garantia. A pista foi danificada em razão do grande fluxo de caminhões.  

Segundo a dona de um restaurante que fica no local, Silvia Nogueira, é a segunda vez que fazem obras para solucionar o mesmo problema na via. “Eles não fazem uma coisa bem-feita e tem que ficar refazendo”, reclamou.

Silvia falou que as obras atrapalham o comércio da região por bloquearem a pista e que, como passam muitos carros, o trecho fica perigoso na parte da noite. “Já quase teve acidente. A noite os carros passam correndo e não veem o buraco na pista. Caminhão também não consegue parar no sinal”.

Funcionário da empresa responsável pela obra, toda a avenida vai passar pelas reformas. As obras começaram no dia 29 de maio, mas ficaram uma semana parada por causa das chuvas, “ai não tinha como mexer”, explicou. Quando questionado se o reparo adiantaria, ele respondeu “creio que sim”.

A Euler de Azevedo recebeu investimentos de R$ 17,4 milhões. O dinheiro foi aplicado na duplicação da pista, recapeamento no asfalto, instalação de cinco semáforos, faixas de pedestre, sendo duas passarelas elevadas, iluminação com lâmpadas de led e muretas de contenção.

 

Felpuda


Figurinha começou a respirar aliviada, embora ainda esteja na corda bamba. Isso porque mudou de mãos o processo cuja sentença poderá mandá-la para casa definitivamente. Assim, pela “jurisprudência” com a qual o “analista” é conhecido, pode ser que o resultado seja bastante favorável, permitindo que a então desesperada pessoa continue com o assento em Brasília. Vamos ver!