Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

Oncologia

Inativa há 5 anos, radioterapia do HU deve ser retomada em 2019

Previsão é de que, na Capital, três hospitais passem a oferecer o serviço ano que vem

16 MAI 2018Por DA REDAÇÃO07h:00

Sinônimo de esperança para quem está na fila por tratamento oncológico na rede pública de saúde de Mato Grosso do Sul, o serviço de radioterapia do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian, parado desde 2013, só deve voltar a operar em maio de 2019.  A implantação de um acelerador linear no hospital está prevista desde o início deste ano, mas até agora não saiu do papel, porque o equipamento exige a construção de um ‘bunker’ - estrutura subterrânea de isolamento - no local. Atualmente, nenhum hospital da rede pública de saúde oferece o tratamento para câncer no Estado.

A data com a previsão de funcionamento do equipamento no HU está num relatório emitido pela Controladoria Geral da União (CGU), sobre fiscalização feita no setor de oncologia do hospital, em novembro de 2017.

Conforme a CGU, apesar não ter encontrado nenhuma irregularidade no hospital, a implementação do Plano de Expansão da Radioterapia foi objeto de questionamento feito ao hospital, que se limitou a informar que “as obras de instalação do acelerador linear estão na fase de execução do projeto executivo no Ministério da Saúde.  Enquanto isso, o HUMAP [Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian] está providenciando a realocação das caixas de acesso de média tensão, esgoto e água pluvial, que estão na área de construção do bunker”, diz o relatório.

* Leia a reportagem, de Luana Rodrigues, na edição de hoje do Portal Correio do Estado.

Leia Também