Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ELDORADO

Idoso morre durante troca de tiros com policiais militares e sargento fica ferido

Ele atirou contra a equipe e sargento foi ferido de raspão na cabeça
23/07/2017 13:48 - GLAUCEA VACCARI


 

Aldes Pereira, 68 anos, morreu durante troca de tiros com a Polícia Militar, na madrugada de hoje, em Eldorado. Um sargento foi ferido de raspão na cabeça por tiro efetuado pelo idoso.

De acordo com boletim de ocorrência, polícia foi acionada por um proprietário rural, que denunciou ter visto o homem armado na sua propriedade. 

Suspeito foi encontrado andando pela rua Rui Barbosa e foi abordado pelos policiais, que se identificaram e pediram para que ele colocasse as mãos na cabeça.

Idoso ignorou a ordem e continunou andando . Ordem foi repetida e, neste momento, suspeito sacou o revólver e efetuou vários disparos em direção a guarnição.

Um dos projéteis atingiu a porta dianteira direita da viatura e resvalou, atingindo parte da cabeça e orelha esquerda do sargento Cleito Vlademir dos Santos, 39 anos.

Para se defenderem, policiais revidaram a agressão, com disparos de pistola .40, usada pela equipe. Suspeito se abrigou em uma rua escura, nos fundos de uma oficina e, policiais, incluindo o sargento ferido, foram até o local para efetuar a prisão.

Novamente o homem atirou contra a polícia, que revidou e o atingiu. Uma ambulância da Secretaria de Saúde do Município foi acionada para socorrer o homem, mas quando equipe chegou ao local ele já estava em óbito.

Sargento foi encaminhado até o posto de saúde, recebeu o primeiro atendimento e foi transferido em seguida para o Hospital Bezerra de Menezes, em Mundo Novo, onde permanece em observação.

Arma utilizada pelo suspeito, um revólver calibre 38, com quatro munições deflagradas e uma intacta, foi apreendida.

Caso foi registrado como homicídio decorrente de oposição a intervenção policial na Delegacia de Polícia Civil.

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?