FILHO CONDUZIA

Identificada passageira de moto que foi arrastada por carreta

Motorista da carreta, bastante abalado foi encaminhado até a Delegacia de Policia Civil para prestar esclarecimentos
04/09/2015 12:53 - Danielle Valentim


 

A Polícia Civil de Bataguassu, município a 335 quilômetros da Capital, identificou a passageira da motocicleta, que morreu depois de ser arrastada por uma carreta, como Aparecida Lopes Bezerra, 60 anos. O acidente aconteceu por volta das 9 horas, no Bairro Jardim São João.

De acordo com informações apuradas pelo site Da Hora Bataguassu, o motociclista que seguia em uma Honda/Biz, pela Avenida Frei Galvão tentou realizar uma ultrapassagem pela direita a um cavalo mecânico Mercedez Bens, que seguia atrelada a uma carreta carregada com milho.

No momento em que motociclista foi realizar a ultrapassagem o motorista da carreta realizou uma conversão em direção a Rua São Cristovão, momento em que o motociclista e passageiro colidiram no meio da carreta parando em baixo do veículo.

Com o acidente o piloto teve uma suspeita de fratura em um dos braços sendo socorrido pela guarnição do corpo de Bombeiros, já a passageira que seria sua mãe, caiu em baixo das rodas traseira do cavalo mecânico, que passaram por cima de sua cabeça, causando morte instantânea.

O motorista da carreta um homem de 36 anos, bastante abalado foi encaminhado até a Delegacia de Policia Civil para prestar esclarecimentos. Policiais Militares e Civis estiveram no local, fazendo a preservação do local até a chegada de peritos do núcleo de Pericia da cidade de Nova Andradina, que estiveram fazendo os levantamentos.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".