Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

SAÚDE

Hospital municipal deverá custar R$ 200 milhões

Prefeitura tenta recursos de emendas parlamentares e União

8 OUT 19 - 09h:18DAIANY ALBUQUERQUE

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) prevê que a edificação e compra de equipamentos para o Hospital Municipal de Campo Grande custe aproximadamente R$ 200 milhões. Segundo o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho, a prefeitura tenta agilizar a liberação de verbas para que o projeto ande.

Na semana passada Filho se encontrou com a bancada federal de Mato Grosso do Sul, em Brasília (DF), onde expôs a necessidade de o projeto ser colocado em prática. A ideia é fazer em Campo Grande um projeto semelhante ao de Cuiabá (MT).

“Campo Grande precisa sair desta triste estatística de ser a única capital do País a não ter um hospital municipal. Um hospital que pode reduzir a fila de cirurgias eletivas, exames, ofertar mais serviços em relação a algumas linhas que nós não temos, um aparelho complexo, para que a gente possa dar uma melhor assistência à nossa população e preparar Campo Grande para as próximas décadas”, disse Filho.

Conforme o secretário, a edificação do hospital, que deverá ter 20 mil metros² deve chegar a R$ 110 milhões. Já o aparelhamento da unidade custará entre R$ 70 milhões e R$ 80 milhões, valor que somado daria entre R$ 180 milhões e R$ 190 milhões. O dinheiro deverá vir de emendas impositivas à União, feitas pelos parlamentares do Estado ou mesmo de uma inclusão do projeto no Planejamento Plurianual (PPA) do Ministério da Saúde para 2020.

A expectativa do secretário é de que até o final deste ano e início do próximo o projeto da unidade já esteja no papel, porque por enquanto ele é apenas uma necessidade, “ainda não passa de um plano”.

EM DOIS ANOS

Com a verba destinada, a ideia da prefeitura é de que a construção dure entre 24 e 36 meses. A unidade deverá ter 317 leitos, assim como a que foi construída em Cuiabá. Para isso, a empresa que realizou o projeto da capital vizinha, que é de Salvador (BA), chegou a vir até a capital sul-mato-grossense para uma reunião. Além disso, no dia 25 de junho deste ano, o secretário municipal esteve em Cuiabá para conhecer o hospital municipal Dr. Leony Palma de Carvalho.

Para Filho, a construção do hospital será uma forma da administração baratear o custo gasto pelo poder público com a saúde, já que o serviço não será comprado de nenhuma unidade e sim fornecido pela própria administração.

“Quando você tem uma unidade hospitalar você pode negociar melhor. Ano passado foram gastos R$ 465 milhões com contratos com hospitais públicos e filantrópicos. É muito dinheiro e dá para melhorar a assistência com esse valor. Acredito que se tivéssemos uma unidade hospitalar própria podíamos negociar muito melhor, como por exemplo Cuiabá, que está economizando R$ 7 milhões por mês apenas pelo fato de ter uma opção no caso de uma negociação. Se comprar menos, com certeza irá economizar.”, afirmou.

Atualmente a saúde de Campo Grande depende quase exclusivamente da Santa Casa, que segundo o secretário é “um dos hospitais filantrópicos com o maior aporte do Brasil”.

O projeto é apoiado pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “A Secretaria (Municipal) de Saúde agora está trabalhando para ver se ela consegue cadastrar, viabilizar o projeto que a gente acha que é importante”, ressaltou ele durante agenda ontem (7), em Campo Grande.

Apesar de ainda não ter fechado um local para a construção, terreno localizado próximo a saída para São Paulo (via BR-262), ao lado do Centro de Triagem e Encaminhamento do Migrante e População de Rua (Cetremi), é um dos lugares possíveis para a implantação do hospital, conforme o próprio secretário. Na região, além do hospital, também seria instalado o terminal de ônibus do Bairro Tiradentes.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Para evitar transferência, Name alega precisar de ajuda em tudo
DESESPERO

Para evitar transferência, Name alega precisar de ajuda em tudo

Prevenção contra incêndio é cinco vezes mais cara em MS
EXIGÊNCIAS

Prevenção contra incêndio
é cinco vezes mais cara em MS

Semana começa com previsão de chuva para MS
TEMPO

Semana começa com previsão de chuva para MS

Músicos homenageiam cantor Ivo de Souza em funeral; veja o vídeo
LUTO

Músicos homenageiam cantor Ivo de Souza em funeral; veja o vídeo

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião