Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 24 de setembro de 2018

Violência

Bandidos matam homem de 29 anos
com cinco tiros e roubam caminhonete

Latrocínico aconteceu ontem à noite na casa da família, em Ponta Porã

14 MAR 2018Por RENAN NUCCI06h:46

Emerson Lopes da Silva, de 29 anos, foi morto por ladrões na casa de familiares na noite de ontem, em Ponta Porã, na fronteira do Brasil com o Paraguai. A vítima foi atingida por cinco tiros na cabeça, tronco e nádegas. Os criminosos levaram do local correntes de ouro, pulseira, relógios, R$ 5 mil em espécie e uma caminhonete Toyota Hilux, conforme informações passadas por parentes à polícia.

Segundo registrado no boletim de ocorrência, o suposto latrocínio - roubo seguido de morte - aconteceu na região do Jardim Manvailer. Um dos moradores estava na casa da namorada, em um bairro próximo, e quando retornou para sua residência, por volta das 21 horas, se deparou com cenário incomum: as luzes estavam apagadas e a caminhonete não estava na garagem. Ao entrar, encontrou o corpo do primo Emerson no chão da sala.

Assustado, voltou para a casa da namorada para pedir ajuda, onde informou um amigo policial e telefonou para outros familiares, mas chamou a polícia só por volta das 23 horas. A Polícia Civil foi acionada e a perícia constatou que o local do crime havia sido alterado, como se o corpo de Emerson tivesse sido mudado de lugar, embora indícios apontassem que aparentemente teria sido morto em outro cômodo e arrastado até o tapete da sala.

Ainda segundo levantado pela perícia, a cena do crime foi alterada também porque familiares transitaram pelo imóvel para averiguar a casa e saber o que tinha sido levado. Foram encontradas cinco cápsulas de calibre nove milímetros. O relógio, a pulseira e o cordão de ouro de Emerson foram roubados, bem como o veículo, o dinheiro e cinco relógios que guardava em uma gaveta. O caso será investigado pela 1ª Delegacia de Polícia.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também