Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CRIME ELEITORAL

Grupo é preso por buscar eleitores no Paraná para votar em Tacuru

Município tem eleições suplementares hoje e eleitores teriam sido pagos
04/06/2017 12:00 - RENAN NUCCI


Quatro pessoas foram presas na noite de ontem por envolvimento com transporte de eleitores, na cidade de Tacuru, onde neste domingo há eleições suplementares. De acordo com a Polícia Civil, dois dos autores buscavam de van ex-moradores do município que estavam atualmente no Paraná, para que pudessem votar em benefício de chapa específica. Os outros presos estavam embriagados e tentaram agredir os policiais durante a abordagem.

Segundo o boletim de ocorrência, a polícia e um juiz eleitoral foram para uma chácara na entrada da cidade, pois denúncia apontava que o local estava sendo usado como ponto de desembarque da van que fazia o transporte de eleitores. Chegando lá, a equipe se deparou com Tavares Nunes de melo, 42 anos, como motorista do veículo. 

Inicialmente ele não revelou o que estava fazendo, mas acabou relatando que havia sido contratado por Anatalia Garcia, 52 anos, para buscar os votantes no Paraná. A mulher tentou despistar os policiais, dizendo que havia contratado a van para o transporte de parentes. Contudo, um dos passageiros afirmou não ter laço familiar com ela e confessou ter sido pago para votar em Tacuru. 

Durante a ocorrência, Luiz Fernando Garcia, 18 anos, e Tiago Wilhan Garcia Gomes, 21 anos, estavam alterados, tentaram agredir os agentes e passaram a ofendê-los, por isso acabaram detidos. Os quatro foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil, onde de acordo com a participação de cada, foram autuados em flagrante pelo crime eleitoral de transportar passageiros, por desacato (promover desordem que prejudique os trabalhos eleitorais) e resistência.

ELEIÇÕES

Mais de sete mil eleitores do município sul-mato-grossense de Tacuru retornarão às urnas hoje, para escolherem novo prefeito e vice-prefeito da cidade. Novo pleito será realizado porque chapa mais votada nas eleições municipais do ano passado teve o registro negado pela Justiça Eleitoral. Dois candidatos disputam a prefeitura de Tacuru. São eles: o ex-presidente da Câmara de Vereadores e prefeito interino do município, Paulo Sérgio de Lopes Mello (PP) e Carlos Alberto Pelegrini (PMDB).

No pleito de 2016, Claudio Rocha Barcelos (PR) e Adailton de Oliveira, candidatos a prefeito e vice, respectivamente, obtiveram o maior número de votos. No entanto, chapa concorreu com o pedido de registro de candidatura indeferido com recurso em tramitação e, por isto, os votos recebidos foram totalizados como nulos.
 

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.