Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ASSASSINADO

Grupo de extermínio executa brasileiro em fazenda no Paraguai

A vítima trabalha como capataz em fazenda no distrito de Amambay
09/07/2019 16:10 - BRUNA AQUINO


 

Grupo ligado ao Exército do Povo Paraguaio (EPP) movimento de guerrilha comunista que orquestrou uma série de operações armadas, é apontado como principal  suspeito de executar o brasileiro Avelino Camargo que trabalhava como capataz em uma fazenda localizada em Amambay, distrito do Paraguai que faz divisa com o Estado de Mato Grosso do Sul. As informações são do site Porã News. 

O crime ocorreu na noite de ontem (8), por volta das 22h. Integrantes do grupo invadiram a fazenda e executaram a vítima com vários tiros. 

O caso foi confirmado pelo Comando de Operações de Defesa Interna do Paraguai (CODI) nesta terça feira (9) e o líder do grupo já teria sido identificado, de acordo com o comando.

Ainda de acordo com o site, o grupo de extermínio é formado por aproximadamente 20 homens armados que fazem parte da brigada indígena contra pistoleiros de fazendas. 

Após a execução, informações dão conta que o grupo teria queimado um galpão, oficina mecânica, uma residência na sede da fazenda, carreta, tratores com os implementos agrícolas e uma caminhonete. 

Porta voz da Força de Tarefa Conjunta (FTC) disse que, no momento do ataque, 17 funcionários entre mulheres e crianças estavam no local e presenciaram o crime. 

O caso será investigado pela Polícia Paraguaia.

 

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.