Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GESTÃO PÚBLICA

Governador sanciona lei que cria Cadastro Estadual das Pessoas com Deficiência

Banco de dados que vai coletar, processar, sistematizar e disseminar informações
11/09/2019 10:33 - BRUNA AQUINO


O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), sancionou nesta quarta-feira (11) a lei que vai instituir o Cadastro de Inclusão das Pessoas com Deficiência. A lei que entra em vigor a partir de hoje foi publicada no Diário Oficial. 

O projeto é a criação de banco de dados que vai coletar, processar, sistematizar e disseminar informações georreferenciadas que permitam a identificação e caracterização socioeconômica da pessoa com deficiência, bem como das barreiras que impedem a realização de seus direitos. 

O projeto prevê que as informações do cadastro resultarão da “integração dos sistemas de informação e da base de dados de todas as políticas públicas relacionadas aos direitos da pessoa com deficiência, bem como por informações coletadas, inclusive em censos estaduais, nacionais e nas demais pesquisas realizadas no Estado”, segundo o texto do projeto de autoria do deputado estadual João Henrique Catan (PL). 

Pela nova lei, o Governo está autorizado a celebrar convênios e parcerias para realizar os procedimentos. Além disso, para assegurar a confidencialidade, a privacidade e as liberdades fundamentais da pessoa com deficiência e os princípios éticos que regem a utilização de informações, os dados somente poderão ser utilizados para a formulação, gestão e monitoramento e avaliação das políticas públicas para a pessoa com deficiência e para identificar as barreiras que impedem a realização de seus direitos, além da realização de estudos e pesquisas.

Felpuda


As pré-candidaturas bizarras estão se espalhando nas redes sociais, nos perfis de quem acredita que esse tipo de “campanha eleitoral” poderá resultar em votos e até levar à conquista de uma vaga na Câmara Municipal de Campo Grande. Se antes isso era visto apenas no horário eleitoral na TV, agora está se espalhado como erva daninha nas redes. Como diria vovó: “Esse povo ainda se acha!” Afe!