Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 21 de setembro de 2018

CUIABÁ-ROCHEDO

Governo federal garante liberação de R$ 9,5 mi para concluir macroanel rodoviário

Obra de 24 quilômetro liga saídas de Cuiabá (BR-163) e Rochedo (MS-080)

16 SET 2018Por ALINE OLIVEIRA11h:55

O governo federal garantiu liberação de R$ 9,5 milhões, para prefeitura de Campo Grande, a fim de que a última etapa do macroanel rodoviário, o qual liga as saídas de Cuiabá (BR-163) e Rochedo (MS-080), seja concluído. 

Assim que o trecho, que totaliza 24 quilômetros estiver pronto, evitará que o tráfego de caminhões carregados de grãos que vêm de Mato Grosso com destino ao Núcleo Industrial de Industrial, passem por áreas residenciais.  Também será uma alternativa para quem está vindo pela BR-163 e quer seguir viagem para Corumbá e Sidrolândia.

O recurso disponível, R$ 7,5 milhões, precisa ser suplementado porque o projeto deve ser reprogramado para incluir obras de drenagem em duas nascentes, não previstas no projeto original, além de readequações nas três rotárias programadas: na BR-163, MS-10 e MS-080.

Na próxima terça-feira (18), técnicos da Prefeitura e do DNIT, com a presença do ministro Marun, vão estar na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em Brasília, com objetivo de obter autorização da agência reguladora para o município executar a rotatória na BR-163, rodovia administrada por uma concessionária.

READEQUAÇÃO

O serviço foi interrompido há quatro anos, quando  87,30% da terraplanagem tinha sido concluída; 63,55% da pavimentação e 72,97% da drenagem, além de terem sido concluídas as duas pontes planejadas (sobre os córregos Botas e Ceroula).

Entre a MS-080 (saída para Rochedo) e a MS-10 (saída para Rochedinho), 12 quilômetros estão prontos, falta  asfaltar apenas 700 metros. O trecho seguinte, entre a MS-10 e BR-163, tem 2,5 quilômetros asfaltados e falta concluir seis quilômetros.

O projeto passou por ajustes para contemplar a construção dos colchões drenantes, que não estavam previstos na proposta original.  Também foi preciso alterar os projetos das rotatórias que foram mudadas, por exemplo, para se adequar a duplicação da MS-080. As alterações exigiram um aditivo de R$ 1.603.513,62 no convênio.

Com os aditivos (para atualização de planilhas que ficaram defasadas após quatro anos de paralisação) e reprogramação, para inclusão de novas obras, o macroanel fechará com um custo total de R$ 37 milhões. Já foram aplicados R$ 21 milhões e até a conclusão da obra serão investidos mais R$ 16 milhões.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também