Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 14 de novembro de 2018

reajuste

Governador afirma para integrantes
de Fórum que busca recursos

Reunião aconteceu ontem e a próxima está marcada para 3 de julho

10 JUN 2017Por IZABELA JORNADA10h:13

A Comissão Especial, criada na Assembleia Legislativa, para fazer interlocução entre o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul e servidores que negociam reajuste salarial intermediou reunião que aconteceu ontem, na Governadoria. O que foi discutido no encontro não foi divulgado com detalhes e uma nova reunião foi marcada para dia 3 de julho.

“Nossa intenção é sempre buscar essa negociação. Eles (Governo) nos apresentam que estão buscando recursos”, disse o presidente da Associação Beneficente dos Subtenentes, Sargentos e Oficiais oriundos do Quadro de Argentos Policiais e Bombeiros Militares de MS ABSSMS, Thiago Mônaco.

Apesar de Azambuja receber integrantes do Fórum de Servidores, o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, que também estava presente, declarou que a concessão de reajuste depende do crescimento da receita.

Na terça-feira passada (6), mais de 200 servidores públicos lotaram o plenário da Assembleia Legislativa protestando reajuste do mês passado negado pelo governador.

A categoria solicitou ajuda dos deputados que por sua vez se mobilizaram e criaram comissão especial para auxiliar na interlocução com o Governo. 

Os integrantes da comissão são os deputados estaduais Cabo Almi (PT), Coronel Davi (PSC), Mara Caseiro (PSDB), Paulo Siufi (PMDB) e Rinaldo Modesto (PSDB).

Além dos deputados estaduais, participaram das tratativas o governador Reinaldo Azambuja, o secretário Eduardo Riedel, o secretário estadual de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto de Assis. Representando os servidores, estiveram presentes lideranças da ABSSMS, do Sindicato dos Policiais Civis de MS (Sinpol/MS), do Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social de MS (Sintss/MS), da Federação dos Trabalhadores em Educação de MS (Fetems), e do Sindicato dos Servidores do Departamento Estadual de Trânsito de MS (Sindetran/MS).

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também