Sábado, 26 de Maio de 2018

No Centro

'Golpe da Boneca' ameaça expor falsa intimidade de médicos da Capital com travestis

Casos são investigados pela Polícia Civil de Campo Grande

13 FEV 2018Por RAFAEL RIBEIRO18h:00

O telefone é sempre o mesmo. E é por meio desse número que médicos de Campo Grande estão sofrendo ameaças de extorsão por uma pessoa que se identifica como travesti e exige dinheiro para não tornar supostas relações sexuais públicas, o que poderia prejudicar os profissionais.

Os casos estão sendo chamados de "Golpe da Boneca", uma referência à forma pejorativa como travestis são chamados na rua.

O último caso levado à polícia aconteceu na tarde desta terça-feira (13), quando um médico de 32 anos procurou a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário da região central para denunciar a tentativa de extorsão.

No caso dele, o suposto travesti exigiu pagamento de R$ 200 por programa de relações sexuais ou iria até seu consultório particular fazer "um barraco".

O médico disse que, assustado com o caso, fez a transferência para a conta-corrente cujos dados foram passados pelo suposto travesti. Mas, como resposta, recebeu a ameaça de que se mais dinheiro não fosse depositado de 15 em 15 dias, as conversas iriam se tornar públicas.

Caso foi registrado como extorsão e a polícia não havia identificado a pessoa responsável pelas ligações até a publicação desta reportagem. De posse de informações pessoais do dono do telefone usado, ele seria chamado para prestar depoimento.

Leia Também