FRONTEIRA

Fuga em massa gera crise na alta cúpula do governo paraguaio

Investigação brasileira aponta ligação de vice-ministro da Justiça e promotor do país vizinho com narcotraficantes
20/01/2020 14:14 - EDUARDO MIRANDA


 

A fuga em massa do Presídio de Pedro Juan Caballero, que veio a tona no último sábado, resultou na demissão de duas autoridades do alto comando do Ministério Público e da Segurança Pública do Paraguai, além da prisão de mais de 30 suspeitos - todos ligados à administração penitenciária - de ter facilitado a fuga dos criminosos ligados à organização brasileira Primeiro Comando da Capital (PCC). 

O Ministério da Justiça do Brasil comunicou na noite de domingo que o vice-ministro de Política Criminal do Paraguai, Hugo Volpe, estaria envolvido em uma investigação que apontava corrupção policial. Na manhã desta segunda, Volpe colocou seu cargo à disposição, e o presidente paraguaio, Mario Abdo Benitez, aceitou o pedido. 

O fiscal (cargo que no Brasil equivale a um promotor de Justiça) Armando Cantero foi demitido pela procuradora-geral do Paraguai, Sandra Quiñonez. Ambos estão vinculados à mesma investigação brasileira, que apura corrupção policial e ligação com organizações de narcotraficantes que atuam na fronteira, informou o jornal paraguaio Ultima Hora. 

PRISÃO DE SUSPEITOS

Na manhã desta segunda-feira (20 ), o diretor do presídio de Pedro Juan, Christian Gonzáles, e mais 30 agentes penitenciários foram presos pela polícia paraguaia. A suspeita é que a fuga em massa, da qual escaparam 76 detentos (conforme a última atualização) foi facilitada. Há indícios, inclusive, de que o túnel descoberto no domingo (19) sequer fora utilizado, e que os presidiários começaram a escapar - aos poucos - pela porta da frente, já na semana passada. 

Do lado brasileiro, as forças de segurança, estaduais e federais reforçam a atuação. Mais de 200 policiais atuam na região, e a maioria dos carros que transitam nas rodovias que levam a Ponta Porã estão sendo abordados. 

Nesta segunda-feira, dois presidiários foram recapturados por equipes policias. O primeiro deles foi identificado como Eduardo Alves da Cruz e capturado por policiais do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) durante a manhã. O segundo foi o paraguaio Sabio Dario González Figueredo e foi encontrado em Amambay, no Paraguai. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".