Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CAARAPÓ

Força Nacional permanece em MS para evitar confronto entre índios e fazendeiros

Prorrogação de permanência foi autorizada pelo ministro Sérgio Moro

10 OUT 19 - 15h:28GLAUCEA VACCARI

A Força Nacional de Segurança Pública vai permanecer em Caarapó por mais 90 dias, a contar a partir do dia 30 de setembro, com objetivo de evitar confrontos armados entre indígenas e produtores rurais da região. Portaria com autorização para prorrogação, assinada pelo ministro da Justiça Sérgio Moro, foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União.

Segundo a portaria, Força Nacional poderá ser empregada em ações de policiamento ostensivo, na modalidade de patrulhamento motorizado, em apoio aos órgãos de segurança pública no Estado de Mato Grosso do Sul, com a finalidade, além de de prevenir conflitos agrários por questões fundiárias, de coibir o tráfico de drogas, contrabando, armas e munições, entre outros, na região da faixa de fronteira. Equipe deve permanecer na região até o dia 28 de dezembro deste ano. 

No Estado, os agentes da Força Nacional de Segurança Pública atuam desde junho de 2016, quando foram deslocados para MS depois da morte de um indígena guarani-kaiowá. Na época, a então presidente Dilma Roussef chancelou uma nova demarcação de terras indígenas, justificando a decisão baseada em estudos de identificação e delimitação de terras.

Com a sanção de Dilma, índios de uma aldeia local decidiram invadir uma fazenda e seis deles foram baleados. Clodiode Aquileu Rodrigues de Souza, agente de saúde da aldeia Tey Kue e filho de liderança, morreu baleado. 

Depois do atentado, que ganhou as manchetes nacionais, oito fazendas nos arredores foram invadidas e permanecem ocupadas, amparadas pela decisão de 2016. A Força Nacional busca  garantir que não haja novas invasões e confrontos. 

A Força Nacional também atua em Mato Grosso do Sul, na cidade de Ponta Porã, em apoio às ações de combate aos crimes fronteiriços.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Envolvimento de agentes de saúde pode acelerar diagnóstico de câncer

BRASIL

Tratamento para doenças raras precisa de investimentos em pesquisa

BRASIL

Motorista embriagado invade lanchonete, atropela 4 e mata jovem

Gaeco pede que juiz mantenha  prisão de policiais ligados a Name
MILÍCIA NA CADEIA

Gaeco pede que juiz mantenha prisão de policiais ligados a Name

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião