Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EMPREGO

Fim de semana com 557 vagas<br> de emprego disponíveis; Veja

Salários podem chegar a R$ 2 mil em média
18/10/2019 08:28 - BRUNA AQUINO


 

A semana está encerrando e quem está em busca de emprego com carteira assinada ainda tem tempo. Isso porque nesta sexta-feira (18), a Fundação Social do Trabalho em Campo Grande (Funsat) e a Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab) oferecem juntas 557 vagas de emprego em diversas áreas de atuação. As vagas são rotativas e podem ser preenchidas a qualquer momento sem aviso prévio. 

Na lista (você pode conferir ao final), há vagas para atendente balconista, caseiro, eletricista, fiscal de tráfego, gesseiro, marceneiro e operador de caixa. Os salários variam de R$ 998, valor mínimo atualmente a R$ 2 mil em média. 

Há oportunidades também para Pessoas com Deficiência, nos cargos de operador de vendas, porteiro, recepcionista atendente e programador de sistemas de informação.  

Na Funsat você pode encontrar vagas nos cargos de motofretista, operador de telemarketing receptivo e empregado doméstico faxineiro. 

Os interessados devem levar o currículo e os documentos pessoais até a sede da Funtrab, que está localizada na Avenida Treze de Maio, n°2773, no centro de Campo Grande. A entrega de senhas começam às 7h e os atendimentos encerram às 17h. 

Na Funsat, os interessados devem ir até a Rua 14 de Julho, 992 - Vila Glória. Lá o atendimento funciona até às 17h. 

No interior do Estado há 418 vagas. Os interessados devem ir até a Casa do Trabalhador de seu município e verificar as vagas disponíveis.

Confira a lista completa abaixo: 

 

Felpuda


As pré-candidaturas bizarras estão se espalhando nas redes sociais, nos perfis de quem acredita que esse tipo de “campanha eleitoral” poderá resultar em votos e até levar à conquista de uma vaga na Câmara Municipal de Campo Grande. Se antes isso era visto apenas no horário eleitoral na TV, agora está se espalhado como erva daninha nas redes. Como diria vovó: “Esse povo ainda se acha!” Afe!