BOM PASTOR

Festival gastronômico entra no calendário oficial de Campo Grande

Evento é realizado desde 2017 para incentivar comércio na Avenida Bom Pastor
20/01/2020 16:43 - ADRIEL MATTOS


 

A prefeitura de Campo Grande incluiu no calendário oficial da cidade o Festival de Gastronomia da Avenida Bom Pastor. A lei que institui o evento na lista municipal foi publicada na edição desta segunda-feira (20) do Diário Oficial da Capital (Diogrande).

O evento já vem sendo promovido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e de Ciência e Tecnologia (Sedesc) desde 2017 e a partir de agora, ganha caráter oficial. Caberá à prefeitura fazer a divulgação; reforçar a iluminação; contratar artistas, seguranças e brigadistas; além de fornecer tendas, banheiros químicos e outras estruturas para o evento.

Para isso, o município poderá realizar ações, programas e parcerias com órgãos públicos de qualquer esfera de governo, entidades de classe, sindicatos, entidades privadas e organizações da sociedade civil. As despesas para a realização do festival virão de  contribuições da indústria, comércio, de instituições públicas e privadas e também de recursos municipais.

HISTÓRICO

Desde 2017, a Praça do Peixe é palco do festival, que tem como objetivo fomentar o comércio gastronômico local, consolidando o corredor gastronômico da Avenida Bom Pastor como uma vertente saudável no cenário econômico de Campo Grande, contabilizando resultados positivos na geração de emprego e renda.

Na última edição, no passado, mais de 50 pratos em 29 restaurantes foram vendidos a preços promocionais. O evento é realizado em agosto, durante as comemorações do aniversário de emancipação da cidade.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".