Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

VISITAS PROIBIDAS

Famílias de pacientes internados no Regional recebem boletim por WhatsApp

Restrição vale tanto para casos de Covid-19 como para outras situações
02/04/2020 10:50 - Ricardo Campos Jr


 

As famílias de todas as pessoas internadas no Hospital Regional de Campo Grande têm recebido novidades sobre os quadros clínicos dos pacientes por WhatsApp. Como a unidade é referência no tratamento da Covid-19, todas as visitas foram suspensas desde a semana passada para reduzir a circulação pelos corredores.

Rosana Leite de Melo, diretora do local, disse ao Correio do Estado que até o momento não recebeu reclamações e diz que a população tem que compreender que o momento exige certos cuidados.

“A questão da transmissão também depende da quantidade de pessoas presentes no mesmo ambiente. Já há dois dias foi estabelecida pela Secretaria de Saúde a questão da transmissão comunitária, ou seja, quando não se sabe de onde a pessoa pegou o coronavírus. A suspensão das visitas é para protegê-los”, explicou a gestora.

CAMINHO DA INFORMAÇÃO

Para se manter atualizado a respeito do quadro clínico do parente internado no Regional, a pessoa pode entrar no site do Hospital e acessar um link para entrar em um grupo no WhatsApp onde os boletins são divulgados diariamente.

Como existe sigilo de informações, somente as iniciais dos nomes dos internados são colocadas, “mas a família vai saber quais são os seus entes na lista”, disse Rosana.

Quem não tem computador ou celular pode entrar em contato com o Regional e pedir para falar na Assistência Social pelo (67) 3378-2500.

Até as 10h dessa quarta-feira (1º), o Hospital Regional tinha 127 pessoas internadas, das quais 23 adultos ocupavam unidades de terapia intensiva. Nessa mesma data havia 259 leitos disponíveis, tanto para casos graves como nas enfermarias.

Com relação ao novo coronavírus, a unidade, que é referência no atendimento da doença no Estado, não há nenhum caso confirmado no local até o momento, mas seis adultos e uma criança considerados suspeitos.

 

Felpuda


A tal estratégia de jogar informações nas redes sociais com objetivo de prejudicar adversários está começando a gerar reações. Uma dessas figurinhas vai ter de explicar, na Justiça, o por quê de postagem trazendo suspeitas pesadas contra cabeça coroada, que não gostou nadica de nada de ver o seu nome sendo usado como “bucha de canhão” para fins eleitoreiros. Vem chumbo grosso por aí! E sai debaixo!...