Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

baixo efetivo

Falta de fiscalização aumenta
risco de acidente nas estaduais

Apenas 44 policiais acompanham 15 mil km de estradas

18 OUT 2017Por DA REDAÇÃO06h:00

As rodovias estaduais compuseram o principal cenário de acidentes e mortes durante o feriado prolongado. Em um período de apenas cinco dias, entre 10 e 15 de outubro, 12 pessoas perderam a vida.

Imprudência e alta velocidade são apontadas como principais razões dos acidentes, mas basta viajar por alguma das MSs para perceber que a falta de fiscalização também é um agravante.

A própria Polícia Militar Rodoviária (PMR) reconhece que há menos policiais nas estradas que o ideal e isso pode ter influência nas fatalidades, uma vez que os 15 mil quilômetros de rodovias sob domínio do Estado são guardados por, no máximo, 44 policiais rodoviários.

De acordo com o tenente-coronel Élcio Almeida, subcomandante da Polícia Militar Rodoviária (PRE), a corporação conta com “11 bases operacionais e uma média de 3 a 4 policiais em cada base todos os dias”. Se considerado o efetivo máximo, são 341 quilômetros de rodovia para cada agente.

O comandante-geral da PM em Mato Grosso do Sul, coronel Waldir Ribeiro Acosta, admite que a quantidade de policiais nas estradas é insuficiente.

“A gente está tentando melhorar esse efetivo com concurso público. Mesmo com esse número, que não é o ideal, estamos conseguindo diminuir o índice de acidentes”.

*Leia reportagem, de Jones Mário e Leandro Abreu, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também