Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

APREENSÃO

Exército vai investigar origem de arsenal apreendido com guarda

Armamento foi apreendido no domingo e guarda foi preso

22 MAI 19 - 16h:14FÁBIO ORUÊ

O Exército Brasileiro vai colaborar com a investigação da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras) sobre o arsenal apreendido com um guarda municipal, de 42 anos, no domingo (19), em Campo Grande. O armamento é avaliado em torno de R$ 1 milhão.

Conforme nota divulgada, o Comando Militar do Oeste (CMO) enviou ofício ao Garras pedindo para ajudar no inquérito. As armas e munições apreendidas serão rastreadas para saber se em algum momento foram registrados nos sistemas gerenciados pela Fiscalização de Produtos Controlados (Sigma, Sicofa e Sicovem).

Os fuzis Ak-47 não são de fabricação nacional e, possivelmente, entraram no país de forma ilegal, informou o CMO.

APREENSÃO

O Guarda Municipal M.R,  que passou recentemente no concurso da Agência Penitenciaria do Estado de Mato Grosso do Sul (Agepen), foi preso depois de denúncia recebida pela polícia.  

Em operação conjunta da Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Bancos, Assaltos e Sequestros (Garras) e do Batalhão de Choque da Policia Militar, ele foi preso em posse de quatro carabinas 556, 17 pistolas nove milímetros, uma arma calibre 12, outra arma longa calibre.22, um revólver 357, quatro pistolas .40, um calibre 380, uma pistola calibre 22, além 17 fuzis AK47, além de silenciadores e carregadores.

 Essas armas aprendidas provavelmente são do Paraguai e estavam com a numeração raspada. Ele explicou ainda que as armas estavam carregadas prontas para serem usadas. 

O delegado do Garras, Fábio Peró, explicou ainda que não tem ainda uma linha de investigação concreta para trabalhar, mas acredita que essas armas deveriam ser usadas para crimes aqui no Estado e que o armamento bate com o utilizado em outros crimes em Campo Grande. As armas serão periciadas para ver se tem alguma ligação com homicídios ou outros crimes.

O guarda teve a prisão preventiva decretada pela Justiça em audiência de custódia. 

Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social de Campo Grande (Sesdes) abriu procedimento administrativo disciplinar para apurar a conduta do guarda e o servidor foi afastado preventivamente das funções durante a apuração do caso.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Bope e Gaeco prendem três e fecham laboratório de refino de cocaína
JARDIM RADIALISTA

Operação fecha laboratório de refino de cocaína na Capital

Grupo de 167 venezuelanos chega a Mato Grosso do Sul nesta semana
INTERIORIZAÇÃO

Grupo de 167 venezuelanos chega a MS nesta semana

PROJETO

Sem restaurante, refeitório poderá ser construído na Assembleia

Pedido de deputado poderá ser reavaliado
DEBATE

Deputados divergem sobre demarcação de terrras indígenas

STF quer que a responsabilidade volte para a Funai

Mais Lidas