Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CAU / MS

Ex-presidente e procurador do CAU/MS são acusados de favorecimento ilegal

Dirigente burlou recomendação do MPF

17 MAI 19 - 18h:39ALINE OLIVEIRA

 ex-presidente e atual conselheiro do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Mato Grosso do Sul (CAU/MS), Osvaldo Abrão de Souza e o atual procurador jurídico da instituição, Elias Pereira de Souza terão de responder à justiça por fraude às regras de contratações públicas, crime tipificado pelo artigo 89 da Lei nº 8.666/1993, que prevê pena de detenção de 3 a 5 anos e multa.

A denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) foi aceita pela Justiça e revela que  Osvaldo, na qualidade de presidente do CAU/MS, usou o cargo para beneficiar seu amigo Elias Pereira de Souza, dispensando a necessária licitação por meio de manobras para a contratação direta de serviços especializados de advocacia e consultoria jurídica por parte de Elias, a quem desde 2012 eram confiados tais serviços, ora como pessoa física, ora como pessoa jurídica. 

O ex-presidente do CAU, no intuito de favorecer seu amigo, chegou a indicar o filho de Elias para a Comissão de Licitações do órgão. Elias, por sua vez, formou mais de uma empresa de prestação de serviços jurídicos, com as quais sempre sagrava-se vencedor nas licitações do CAU/MS.

Tendo tomado conhecimento dessa irregularidade, o Ministério Público Federal, em 28/06/2016, emitiu a Recomendação nº 4/2016 ao presidente e aos membros da Comissão de Licitação do CAU-MS, para que suspendessem imediatamente o Procedimento nº 031/2016, deixando de firmar contrato de prestação de serviços advocatícios e consultoria jurídica com a Pereira de Souza até que fosse apurado o favorecimento nas contratações.

Em aparente acatamento da Recomendação, o presidente do CAU-MS suspendeu (29/06/2016) e arquivou (30/06/2016) o Procedimento nº 031/2016, além de informar que não firmaria contrato com a Pereira de Souza Advogados Associados. 
Porém, apenas um dia após, por intermédio de portaria datada de 01/07/2016, o presidente do CAU-MS, Osvaldo Abrão de Souza, nomeou o advogado Elias Pereira de Souza para o cargo de Procurador Jurídico do Conselho - inclusive com dispensa de registro de ponto – cargo que ele ocupa até hoje.

Para o MPF, é bastante claro o propósito de favorecimento do ex-presidente, desde a implantação do CAU-MS, às contratações em benefício de seu amigo. Inclusive tendo recorrido como último recurso para isso, após a Recomendação nº 4/2016, à contratação direta da própria pessoa de Elias. 

"O objetivo da contratação para o cargo em comissão não foi o legítimo exercício de nomear pessoa de confiança, e sim, em claro desvio de finalidade, favorecer indevidamente uma pessoa que, de outro modo, não teria obtido vínculo com a Administração Pública".

*Com informações da Ascom MPF/MS

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Ex-vereadora pede cassação <br> de parlamentar na Câmara
DOURADOS

Ex-vereadora pede cassação de parlamentar na Câmara

Vereador acusado de receber propina será julgado hoje na Câmara Municipal
DOURADOS

Vereador acusado de receber propina será julgado hoje

Integrante do PCC vai à júri nesta quinta-feira por esquartejamento
HOMICÍDIO

Integrante do PCC vai à
júri por esquartejamento

Piscinas do parque <br> poderão ser reformadas
AYRTON SENNA

Piscinas e quadras do parque poderão ser reformadas

Mais Lidas