Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 19 de janeiro de 2019

CORONEL SAPUCAIA

Paraguai extradita ex-prefeito de cidade do MS, condenado por homicídio

Eurico Mariano é acusado de mandar matar radialista de Coronel Sapucaia

11 JAN 2019Por ALINE OLIVEIRA17h:32

A Polícia Nacional do Paraguai extraditou nesta sexta-feira (11), Eurico Mariano, 66 anos, ex-prefeito de Coronel Sapucaia (MS), condenado em 2007 a 17 anos e nove meses de prisão, pelo mando do assassinato do radialista Samuel Román, em 2004. 

A operação aconteceu no Grupo Air Tactical da Força Aérea Paraguaia, com apoio da direção-geral de Imigração, conforme informações do site Capitán Bado. Além disso, a escolta envolveu representantes do Judiciário, agentes da Interpol  e grupo aerotático. 

Mariano estava foragido há 13 anos e foi encontrado na cidade paraguaia de Capitán Bado. Depois de ser entregue às autoridades brasileiras, no aeroporto de Assunção, o ex-prefeito foi levado para a cidade de Ponta Porã, aonde cumprirá pena em regime fechado. 

A prisão foi solicitada pelo Ministério Público de Mato Grosso do Sul, por meio da Secretaria de Cooperação Internacional (SCI), da procuradoria-geral da República. 

HISTÓRICO

O ex-prefeito de Coronel Sapucaia  foi condenado por encomendar a morte do radialista, Samuel Román, apresentador  do programa 'A voz do povo', na Rádio Conquista FM. A vítima denunciou várias irregularidades na administração municipal, esquema de desvio de verba pública e venda de combustível contrabandeado do Paraguai. 

Em outro processo, o ex-prefeito foi denunciado por ter violado a Lei de Responsabilidade Fiscal no ano de 2004 e ter praticado crimes contra a administração pública. 

A denúncia foi recebida pelo Juízo da 1ª Vara da Comarca de Amambai, mas, como Eurico Mariano estava em local incerto e não sabido, inviabilizou-se sua citação pessoal. Foi determinada a suspensão do processo e o prazo prescricional, com a decretação de sua prisão preventiva em 16 de abril de 2013. 

No terceiro processo, Eurico Mariano foi condenado definitivamente em agosto de 2011 a três anos e seis meses de prisão por fraude em licitações.

De acordo com a denúncia, entre 2001 e 2003, no município de Coronel Sapucaia, o réu realizou diversos processos licitatórios fraudulentos com o objetivo de beneficiar a empresa MM. Construtora Ltda, que era de sua propriedade. 

Em 19 de janeiro de 2017, o Juízo da 1ª Vara da Comarca de Amambai expediu mandado de prisão contra Eurico Mariano, nos três casos, e inseriu o ex-prefeito na difusão vermelha da Interpol. 

No pedido de prisão, o MP/MS destacou que as penas aplicadas a Eurico Mariano no Brasil não se encontram prescritas de acordo com a legislação brasileira. Ainda de acordo com a instituição, o ex-prefeito responde a dezenas de processos no Brasil, muitos relacionados a improbidade administrativa, crimes contra a administração pública e crimes comuns. 

Desses processos contra Eurico Mariano, três possuíam registro na difusão vermelha da Interpol em acusações por homicídio qualificado, crimes contra a administração pública e fraude em licitações.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também