Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

JUSTIÇA

Estúdio fotográfico é condenado por faltar em aniversário de crianças

Fotógrafos não comparecem e não deram justificativa no dia da festa

22 JUL 19 - 18h:01GLAUCEA VACCARI

Proprietário de um estúdio fotográfico foi condenado a indenizar uma mãe e seus dois filhos em R$ 30 mil, além de pagar multa de R$ 325 e restituir o valor de R$ 216 pagos por uma cobertura fotográfica que não foi realizada. Decisão é da 4ª Vara Cível de Campo Grande.

Consta no processo que, no dia 13 de agosto de 2014, a mulher contratou os serviços da empresa para fotografar o aniversário de seus filhos, de 3 e 10 anos, pelo preço de R$ 650, a serem pagos em três parcelas de R$ 216, sendo a primeiro paga no ato da contratação.

O contrato assinado previa a presença de dois fotógrafos acompanhados de um auxiliar na festa, marcada para o dia 26 de agosto daquele ano, além de álbum e DVD com todas as fotos editadas.

No dia do evento, profissionais não compareceram e não deram justificativa para a falta. Mãe das crianças afirma que tentou entrar em contato por telefone, mas o celular estava desligado.

Ela entrou com ação alegando que a situação causou danos morais, tendo em vista que o momento, que era para ser festivo, se tornou um drama, fazendo com os convidados se mobilizassem para registrar a festa com seus celulares. Além da indenização, ela pediu a rescisão do contrato e restituição da quantia paga.

Proprietário da empresa não apresentou contestação em juízo.

Juíza Vânia de Paula Arantes, em sua decisão, considerou que a mulher comprovou, por meio de contrato, a existência de relação jurídica entre as partes. Ainda conforme a magistrada, extrato bancário demonstra que a mulher estava cumprindo sua parte no acordo, com o pagamento da parcela, e que o inadimplemento da empresa, que deixou de comparecer ao evento contratado, deu causa à rescisão contratual, sendo aplicada multa equivalente a 50% do valor contratado, de R$ 325.

Quanto aos danos morais, juíza afirmou que a empresa não avisou que não poderia ir à festa, o que impediu que a mulher encontrasse outro fotógrafo e tivesse que solucionar o problema durante o evento, sendo as fotos com celular em nada semelhantes com fotografias tiradas por um profissional.

"Estando evidente que a situação ultrapassou muito os aborrecimentos da vida cotidiana. julgo procedente o pedido para condenar a parte ré ao pagamento de indenização por danos morais, no valor de R$ 10 mil para cada autor”, disse a magistrada na decisão. Além da mãe, constam como autores da ação os dois filhos, o que totaliza R$ 30 mil em indenização.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Oito bois morrem após caminhão que os transportava capotar na 'curva da morte'
BRASIL

Oito bois morrem após caminhão que os transportava capotar na 'curva da morte'

BRASIL

Fisiculturista de 22 anos espanca idoso de 65 após acidente de trânsito

Mulher é baleada por ex-marido e finge estar morta para sobreviver: 'Parei de respirar'
BRASIL

Mulher é baleada por ex-marido e finge estar morta para sobreviver: 'Parei de respirar'

BRASIL

Presidente dos EUA oferece a Bolsonaro ajuda à Amazônia

Mais Lidas