Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PROTEÇÃO

Com falta de EPIs, Estado vai receber 439,5 mil itens para profissionais da saúde

Houve falta generalizada de insumo no mercado devido à demanda mundial pelos itens diante do avanço do coronavírus
01/04/2020 07:30 - Ricardo Campos Jr


 

Mato Grosso do Sul vai receber do Governo Federal 439.548 equipamentos de proteção individual (EPIs) que serão usados pelos profissionais da saúde. Houve falta generalizada de insumos, como máscaras, álcool 70% e luvas no mercado devido à demanda mundial pelos itens diante do avanço do novo coronavírus.

Serão entregues 1,2 mil frascos de 500 ml de álcool 70%, 1.248 frascos de 100 ml de álcool 70%, 800 óculos de proteção, 235.500 luvas de procedimentos não-cirúrgicos, 2,2 mil sapatilhas, 185 mil máscaras, 9,8 mil aventais e 3,8 mil toucas.

A falta desses materiais é assunto desde o surgimento dos primeiros casos. Médicos do Hospital Regional, referência no atendimento aos pacientes que vierem a ter Covid-19 em Campo Grande, pediram doações na internet. Na época, o Governo emitiu uma nota dizendo que os estoques estavam cheios, embora toda ajuda fosse bem vinda.

Hoje, contudo, a secretaria de Saúde confirma que os insumos estão se esgotando, especialmente os aventuais impermeáveis e as mácaras cirúrgicas e N95, usadas em ambiente hospitalar. Como a quantidade disponível atualmente é insuficiente, já que eles também são usados em outros procedimentos, o poder público começou a produzi-los.

Internos do sistema penitenciário estão entre os grupos que ajudam o Estado a providenciar alguns EPIs.

A preocupação é semelhante a nível municipal, que empregou 50 voluntários se revesando para confeccionar entre 1 mil e 2 mil itens de proteção individual – máscaras e aventais no Procon municipal.

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, disse ao Correio do Estado que tentou entrar em contato com o setor de logística do Ministério da Saúde para saber quando os materiais devem chegar a Campo Grande, assim como os testes rápidos para Covid-19, que já desembarcaram em São Paulo.

Sobre os equipamentos de proteção, o Ministério divulgou que hoje saíram de Brasília as últimas remessas com destino a estados do nordeste. Não detalhou quando a parcela que caberá ao Centro-Oeste deixou o Distrito Federal.

A respeito dos exames, o país recebeu as primeiras 500 mil unidades de um total de 5 milhões doados pela Vale. Contudo, os produtos passarão por uma análise de qualidade pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e só devem ser distribuídos aos estados a partir da semana que vem. As quantidades que cada unidade da federação receberá ainda não foram definidas pela pasta.

Os outros 4,5 milhões de testes rápidos devem ser entregues ao país durante o mês de abril, ainda sem uma data precisa.

Esses exames são feitos entre o sétimo e décimo dia do surgimento dos sintomas. É muito parecido com um teste de glicemia. Coleta-se uma gota de sangue do paciente e, a partir dela, é possível detectar a presença de anticorpos produzidos pelo organismo para combater o novo coronavírus.

LEITOS

Mato Grosso do Sul já recebeu 25 ventiladores pulmonares que irão reforçar o atendimento aos possíveis casos graves do novo coronavírus. Os equipamentos custaram R$ 1.368.375, conforme extrato publicado na edição desta terça-feira (31) do Diário Oficial.

Dez aparelhos já estão no Hospital Regional para a montagem de leitos semi-intensivos no sétimo andar do prédio. Os demais serão distribuídos a outras unidades, conforme adiantou ao Correio do Estado o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende. “Ontem já assinamos a aquisção de mais 11 ventiladores. Assim que chegarem, serão encaminhados aos municípios do interior que precisarem”.

Além disso, outros 38 equipamentos devem ser comprados em breve para terminar o novo setor do Regional. O Ministério da Saúde também deve encaminhar ao Estado insumos e máquinas para aumentar de 95 para 105 o número de leitos de terapia intensiva.

O município também comprou em regime de urgência 150 respiradores, medida para ampliar a oferta de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na Capital. Além disso, a administração municipal, em parceria com o governo do Estado, também contingenciou 70 leitos de UTI em hospitais públicos e privados.

 

Felpuda


Há quem diga que o horário eleitoral já começou. Isto porque lives estão pipocando nas redes sociais de pretensos candidatos, principalmente aqueles que querem cadeiras nas câmaras municipais. O mais interessante é que somente agora muitas dessas figurinhas estão descobrindo os problemas enfrentados pelos cidadãos dos mais diferentes setores. Até então, cuidavam apenas do “seu quadrado”. E só!