Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

ms-436

Estado quer ressarcimento
por obra de pavimentação malfeita

Empreiteira Sanches Tripoloni recusou-se a restaurar trecho

7 OUT 2017Por DA REDAÇÃO05h:00

O governo do Estado pretende acionar a Justiça e pedir ressarcimento da empreiteira Sanches Tripoloni pelas obras malfeitas na MS-436, entre as cidades de Camapuã e Figueirão.

Entregue em 27 de abril de 2013, a rodovia apresenta inúmeros problemas, como buracos profundos, erosões marginais e esfarelamento do asfalto. 

O reembolso seria tanto pelos valores gastos na antiga gestão, quando a obra foi inaugurada, quanto pelos valores atuais, já que o Estado abriu nesta semana licitação para recuperação de trecho de oito quilômetros.

No período em que a pavimentação era realizada, a empresa recebeu R$ 148 milhões para asfaltar trecho de 106,8 km. Já este ano, o Estado está arcando com custo de R$ 3,6 milhões. 

De acordo com o secretário-adjunto da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul), Helianey Paulo da Silva, a necessidade de recorrer ao Poder Judiciário é porque a empreiteira não admitiu responsabilidade pelas condições precárias da rodovia e, apesar de ter realizado manutenção em alguns trechos, com tapa-buraco, por exemplo, se negou a refazer o serviço.

“Vamos mover uma discussão judicial, pretendemos acionar a Justiça, mas isso apenas depois que os valores estiverem definidos”, disse, ressaltando que a Agesul esperará o resultado da licitação recém-aberta e, ainda, a avaliação das necessidades financeiras para recuperação dos locais não contemplados na licitação aberta recentemente.

*Leia reportagem, de Lucia Morel, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também