Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

EM DESACORDO

Estado oferece reajuste de 2,94% e Fórum reforça proposta de greve geral

Entidade dos servidores estaduais pediam 7,45%, mas aceitavam negociar em 4,5%

3 JUL 17 - 16h:36RODOLFO CÉSAR E NATALIA YAHN

A reunião entre governo do Estado e representantes do Fórum dos Servidores Estaduais na tarde de hoje terminou com impasse e a proposta de reajuste de 2,94% para todas as categorias. Na reunião, que aconteceu no Parque dos Poderes, em Campo Grande, foi informado também que o aumento seria concedido a partir de setembro, com pagamento feito em outubro.

O impacto dessa proposta nas contas do governo estadual é de R$ 11 milhões, informou o secretário de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto Assis. Ele participou da discussão junto com o secretário de Governo, Eduardo Riedel.

"Oferecemos 2,94% de reajuste linear para todas as categorias, com um impacto de R$ 11 milhões", explicou Assis.

Pelo lado do Fórum dos Servidores, estavam presentes representantes de 50 categorias. Praticamente todos os presentes demonstraram insatisfação com a oferta. As entidades cobravam 7,45% de aumento, mas estariam dispostas a negociar com 4,5%, que é referente à inflação do período de maio de 2016 a maio de 2017.

Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul (Sinpol), Giancarlo Miranda, na reunião, que foi a portas fechadas, o governo do Estado mencionou que será preciso corte de 25% no custeio da máquina pública para garantir o reajuste ofertado. Nenhum dos secretários confirmou que isso foi mencionado.

"A justificativa dada é que o Estado está falido, que não tem como pagar mais. Mas não é isso o que se fala para a população e o que as contas mostram", sugeriu Miranda.

Ricardo Bueno, dirigente do Sindicato da Seguridade Social (Sintss-MS), mencionou que pela proposta a possibilidade de greve geral em Mato Grosso do Sul aumenta. "Está caminhando-se para a primeira greve geral de Mato Grosso do Sul, possivelmente", previu Bueno.

Todas as categorias agora farão assembleias gerais para apresentação da proposta do governo do Estado e definir qual encaminhamento será dado.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Motorista é preso com 56 quilos de cocaína no painel de caminhonete
TRÁFICO DE DROGAS

Motorista é preso com 56 kg de cocaína em caminhonete

BRASIL

Relatório do Vaticano para encontro de bispos cogita padres casados na Amazônia

AJUDA FINANCEIRA

Governador decide amanhã se vai aderir ao plano Mansueto

Reunião com equipe já está marcada
BRASIL

PF destrói 1,2 mil tonelada de maconha na fronteira com o Paraguai

Mais Lidas