Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

OPERAÇÃO

Esquadrão da Morte do PCC vigiava alvos 24 horas por dia

Até Diário Oficial era usado por quadrilha para acompanhar vida dos 12 ameaçados

21 MAR 19 - 17h:32RAFAEL RIBEIRO

Parecia filme de espionagem, mas na verdade era a atuação do chamado 'Esquadrão da Morte do PCC', grupo de bandidos que tinham como missão a execução de 12 servidores da segurança pública, como policiais e agentes penitenciários. De forma bastante intuitiva, o bando funcionava como uma central de inteligência, seguindo de perto e por 24 horas a rotina dos alvos e seus familiares.

Os policiais civis da Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco), responsáveis pelas prisões, descobriram que o grupo se dividia, principalmente, em dois. 

Um deles tinha como responsabilidade o trabalho de 'investigação', propriamente dito. Criavam perfis falsos nas redes sociais para seguirem os agentes de segurança e descobrirem dados de suas vidas particulares. A coisa ia além, com consultas frequentes às páginas oficiais do Governo do estado e leitura diária do Diário Oficial para descobrir escalas de trabalho e transferências de postos.

Todo o conteúdo produzido por eles era encaminhado aos 'torres', como são chamados os líderes da facção criminosa, que controla o tráfico de drogas e armas na fronteira do Estado com Paraguai e Bolívia, que estão detidos no Presídio de Segurança Máxima, no Jardim Noroeste, região leste de Campo Grande, e Penitenciária Estadual de Dourados.

Segundo a delegada Ana Claudia Medina, responsável pela investigação que durou quatro meses, a outra parte dos bandidos fazia o trabalho de campo. A maioria desses, que já cumpriram pena anteriormente ou que estão em liberdade condicional, tinham dívidas a pagar com as lideranças. E então passavam a acompanhar, inclusive com fotos e vídeos, os sevidores de segurança pública marcados como alvos, juntamente com familiares, parentes, amigos colegas de profissão, acompanhando minuciosamente a rotina diária, locais frequentados, residencias, veiculos utilizados, trajetos de deslocamentos e horários vulneráveis.

A audácia era tamanha que a polícia investiga a invasão nas casas de alguns dos policiais de forma infiltrada, usando roupas de operadoras de televisão a cabo ou concessionárias de internet. Era a forma encontrada para fazer a 'varredura' das residências, descobrindo cômodos e planejando formas de ataque.

"Eles tinham apoiadores que, aqui fora, faziam o levantamento de campo e monitoramento 24 horas por dia dos servidores e dos seus familiares, como quais carros usavam, o dia de folga, onde costumavam ir", disse a delegada.

A identidade dos alvos do Esquadrão da Morte do PCC é mantida em sigilo por motivos de segurança. O Correio do Estado apurou que a operação foi deflagrada na eminência de ataques promovidos a agentes de Rio Brilhante, Corumbá, Três Lagoas e Dois Irmãos do Buriti.

A principal suspeita da Polícia Civil é que a primeira das ações planejadas pelo grupo foi de fato concretizada: a execução do soldado da Polícia Militar Juciel Rocha Professor, 25 anos, ocorrida na madrugada do dia 10 de fevereiro, em um bar de Maracaju. O PM fazia constantemehte o trabalho de escolta na transferência de presos da cidade para os grandes presídios do Estados.

Dois dias depois, quatro homens foram presos acusados pelo crime. A motivação apontada na época já antecipava alguns dos elementos revelados pela Deco. E um dos detidos havia obtido a liberdade do presídio apenas 22 dias antes. Voltando ao cárcere com o posto de liderança, como uma promoção.

CONFIRA ABAIXO A LISTA DE PRESOS PELA POLÍCIA CIVIL NA QUARTA:

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Organização que fraudava tributos federais é alvo de operação da PF

Operação apreende uma tonelada irregular de carne
ACABOU O CHURRASCO

Operação apreende uma tonelada irregular de carne

Polícia Civil prende mulher acusada de abusar de crianças em Rio Verde
CHOCANTE

Professora é presa acusada de abusar de 11 crianças

Avenidas nas saídas da Capital terão reforço de 15 mil lâmpadas
CAMPO GRANDE

Avenidas nas saídas da Capital terão reforço de 15 mil lâmpadas

Mais Lidas