Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

DEMORA

Erro em projeto paralisa
obras de novo presídio feminino

Estado negocia com Departamento Penitenciário Nacional

29 JUN 2017Por DA REDAÇÃO05h:00

Inicialmente previsto para entrega em março de 2015, o novo presídio feminino de Campo Grande, em construção no Complexo da Colônia Penal Agroindustrial da Gameleira, região da saída para Sidrolândia, não ficará pronto tão cedo. Além disso, os seus custos devem ser mais elevados do que era esperado.

De acordo com as informações, a obra, orçada em R$ 13,6 milhões com recursos do governo federal, está paralisada por conta de erros de cálculo no projeto elaborado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Em decorrência do erro e atraso no cronograma da obra, a Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) assumiu a responsabilidade de refazer a planta até abril de 2018, para que não haja prejuízo aos cofres públicos.

A unidade tem capacidade para 407 vagas e foi projetada para amenizar a superlotação do sistema carcerário sul-mato-grossense, que hoje opera com deficit de 333 vagas para mulheres, segundo dados recentes divulgados pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário – no geral, o problema é ainda maior: são 15.632 internos para apenas 7.327 vagas. 

*Leia reportagem, de Renan Nucci, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Leia Também