Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 17 de novembro de 2018

PONTA PORÃ

Envolvido em latrocínio de taxista é preso por tentativa de estupro

Vítima é uma menina de 12 anos que ele conversava pelas redes sociais

17 JUN 2017Por RENAN NUCCI15h:18

Jovem de 24 anos foi preso por agentes do Serviço de Investigações Gerais (SIG) da Polícia Civil de Ponta Porã depois de tentar estuprar menina de 12 anos. Ele teria levado a vítima para a casa da irmã dele, onde a embriagou com vodca. Em 2013, o suspeito e outras cinco pessoas haviam sido presas pelo latrocínio de taxista na mesma cidade.

De acordo com o site Porã News, o autor foi detido pelo SIG após combinar um suposto encontro com  a vítima na praça do Bairro Ipê II.

Conforme apurado, os dois haviam se conhecido pelo Facebook e começaram a trocar mensagens. Na segunda-feira, ele pegou a menina bem cedo na escola e a levou para a casa da irmã, onde a embriagou.
Durante o encontro, a estuprou e depois a deixou na escola. Familiares perceberam que ela estava embriagada e a levaram para atendimento médico. Ela acabou relatando o caso aos pais.

O autor continuou a enviar mensagens para a garota, mas à esta altura, familiares já  estavam monitorando o celular dela e informaram os fatos aos investigadores do SIG.
Na sexta-feira, o suspeito combinou de se encontrar com ela na praça, informando que tinha interesses sexuais, mas foi surpreendido pelo SIG. No celular dele havia contato de outras meninas vítimas em potencial.

Ele foi autuado em flagrante por tentativa de estupro. A polícia investiga agora os supostos abusos cometidos contra a menina no início da semana.

LATROCÍNIO

Em 2013, o investigado foi preso com três adolescentes e outros dois comparsas, de 19 e 21 anos, por suspeita de envolvimento no latrocínio do taxista Sebastião dos Santos Almeida, em Ponta Porã. A hipótese era de que o grupo cometeu o crime para roubar o carro e pagar dívida com o tráfico. Após colaborar com a polícia e auxiliar na prisão dos envolvidos, ele foi solto.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também