Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CONSUMO

No mesmo mês, cliente vê
conta de luz 500% maior

Em 28 dias, o histórico trouxe dados divergentes e conflitantes, com cobrança de R$ 620,85

9 FEV 19 - 04h:00LUANA RODRIGUES

Após o aumento expressivo nas contas de energia elétrica da maioria dos sul-mato-grossenses, no mês de janeiro, situação no mínimo inusitada foi identificada por um consumidor, em Campo Grande. O cliente teve consumo e valores de duas contas de luz alterados pela Energisa de um mês para o outro, de modo que, em um dos casos, a dívida, antes registrada em R$ 108,92, saltou para R$ 620,85, sem explicação plausível. Para o consumidor, houve erro ou fraude por parte da concessionária. A empresa nega.

Com os demonstrativos em mãos, o consumidor contou ao Correio do Estado que, no dia 11 de janeiro deste ano, imprimiu o histórico de contas de uma chácara da qual é proprietário e obteve como resultado de leitura feita no dia 7 de janeiro deste ano o consumo de 100 kilowatts (kW), com valor da conta de R$ 108,92.

Como não havia pago a conta, o consumidor fez uma nova consulta nesta sexta-feira e, para surpresa dele, o consumo e o valor referentes à leitura haviam sido alterados. De 100 kW, o consumo passou para 903 kW, enquanto o valor da conta aumentou R$ 514,93, totalizando R$ 620,85. 

Preocupado com a situação, o consumidor verificou outras faturas e encontrou o mesmo erro na conta da casa onde mora, referente ao mês de dezembro, em que, numa fatura, o valor da conta é de R$ 223,52 e, em outra, é de R$ 284,37. “Há um desequilíbrio muito grande, não sei se por malfeito ou desonestidade, de qualquer forma é inaceitável”, disse ao Correio do Estado.

Procurada pela reportagem, a Energisa  informou que, para verificar o caso citado, precisaria da unidade consumidora do cliente ou do endereço completo, pois as solicitações são avaliadas caso a caso, considerando uma análise do histórico de consumo.

A empresa não soube explicar como ocorreu a alteração na conta do cliente nem por quais motivos, mas afirmou que, “quando se fala em consumo mais alto, todos os valores sobem na mesma proporção na conta de luz, e o que difere são os tributos, os encargos, os impostos, como ICMS e PIS/Cofins, por exemplo, que compõem o valor do kW/h cobrado na conta”.

O superintendente para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon), Marcelo Salomão, afirmou que vai apurar o caso. “Assim que o cliente nos procurar, abriremos uma reclamação para apurar o que houve, imediatamente”.

RECLAMAÇÕES

O preço da conta de luz tem sido alvo de debates desde o início de janeiro, quando chegaram as contas relacionadas ao consumo de dezembro de 2018. A partir de então, foram realizadas reuniões entre Procon e Energisa para chegar a um acordo. De um lado, consumidores reclamam de contas que dobraram de valor. Do outro, a concessionária justifica o aumento do consumo de energia, colocando a culpa nas altas temperaturas registradas desde o fim do ano passado. 

Vereadores, deputados e até o governo do Estado pediram explicações para a empresa, que se defendeu afirmando que o aumento do consumo e no valor das contas de energia é comum no verão. O resultado é que, até agora, nenhuma medida foi adotada para, de fato, atender o cliente e resolver as reclamações. 

Na tentativa de se chegar a um acordo, a Energisa ofereceu a possibilidade de parcelamento das faturas com valor mais alto. Além disso, o Procon garantiu que nenhum corte seja feito até que o aumento seja esclarecido por completo.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Justiça suspende operações em mais uma barragem da Vale

BRASIL

STJ reduz pena de Elize Matsunaga, condenada por esquartejar marido em SP

Mulher será indenizada em R$ 15 mil depois de ser atingida por toldo de loja
JUSTIÇA

Mulher ferida por toldo de loja será indenizada

Shopping é condenado a pagar R$ 10 mil por falsa acusação de furto
CAMPO GRANDE

Shopping é condenado a pagar R$ 10 mil por falsa acusação de furto

Mais Lidas