INQUÉRITO CONCLUÍDO

Empresário é preso por estupro e exploração sexual de adolescentes

Em alguns casos, famílias recebiam dinheiro e permitiam os abusos
12/08/2019 17:45 - GLAUCEA VACCARI


Empresário de 63 anos foi preso por estupro de vulnerável e exploração sexual de adolescentes, em Ladário. Polícia Civil encerrou o inquérito e concluiu que ele se aproveitava do fato de ser bem sucedido para explorar meninas de famílias carentes da cidade.

Conforme a polícia, após minuciosa investigação que perdurou por meses, foi concluído que o empresário oferecia dinheiro, presentes, tratamento de beleza e alimentação em troca de favores sexuais, em alguns casos com a conivência dos pais das vítimas.

Em um dos casos, ele chamou uma adolescente de 13 anos para passear de carro e fazer compras e, durante o trajeto, estuprou a jovem, além de constantemente fazer com que ela enviasse fotos íntimas a ele.

Com o mesmo modo de agir, oferecendo dinheiro e presentes em troca de favores sexuais, ele explorava sexualmente mais duas adolescentes.

Delegado Luca Venditto Basso, responsável pelas investigações, disse que como o empresário é conhecido e bem relacionado no município, muitas pessoas se recusaram a colaborar com as investigações, incluindo, em alguns casos, familiares das vítimas, devido ao fato de estarem sendo supridas fincanceiramente pelo homem.

Suspeito foi preso no fim de julgo, em cumprimento a mandado de prisão preventivo, e foi indiciado pelos crimes de estupro de vulnerável e de favorecimento de exploração sexual de adolescente.

Apesar da conclusão das investigações, Polícia Civil continua os trabalhos para identificar possíveis outras vítimas.

“Pedimos que outras meninas que, porventura tenham sido vítimas de exploração ou abusos sexuais, que procurem a Delegacia de Ladário para as providências cabíveis”, disse o delegado.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".