Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

OBRA

Empresa terá 30 dias para implantar cobertura de vidro no Aquário

Contrato entre Governo do Estado e Gomes e Azevedo foi publicado na edição de hoje do Diário Oficial
17/10/2019 14:14 - DAIANY ALBUQUERQUE


 

A empresa Gomes e Azevedo LTDA – EPP terá 30 dias para executar a substituição dos vidros da cobertura do prédio do centro do Aquário do Pantanal. O contrato entre a prestadora de serviço e o Governo do Estado foi publicado no Diário Oficial Estado (DOE) desta quinta-feira (17).

A empresa ofereceu valor de R$ 386.450,46 para execução da obra e acabou vencendo a licitação porque sua outra concorrente, Átria Engenharia, acabou desabilitada de participar da licitação por não ter pago o valor total do seguro garantia. O valor correspondia a 1% do valor total previsto no edital, por isso a licitante deveria ter destinado aos cofres públicos R$ 425,33, entretanto, depositou apenas R$ 420,00.

Por conta desses R$ 5,33 a empresa foi considerada inapta para prosseguir no certame, o que deu a vitória para sua única concorrente habilitada, a Gomes e Azevedo.

O documento é assinado pelo representante da empresa, Robergini de Mello Lomba de Azevedo, e o diretor-presidente da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul), Luis Roberto Martins de Araújo.

A Gomes e Azevedo possui alguns contratos ativos com o Governo do Estado, prefeituras do interior de Mato Grosso do Sul e já realizou obras pelo Governo Federal.

COBERTURA METÁLICA

Outra licitação do Aquário do Pantanal em aberto se trata da contratação de empresa para realizar a conclusão da cobertura metálica com telha calandrada e zipada do trecho 4 do Aquário do Pantanal, no valor total de R$ 1.824.702,63.

Apenas duas empresas manifestaram interesse em participar do certame, a Gomes e Azevedo e a Montagna Estruturas Metálicas Eireli. Entretanto, durante o período de habilitação das empresas, apesar de a mesa ter considerado que ambas estavam corretas, a representante da Montagna, Desisne Pires Américo Rodrigues da Silva, afirmou ter encontrado algumas irregularidades na documentação apresentada pela concorrente e afirmou que entrará com pedido formal de impugnação.

Devido a este fato, a comissão de licitação não seguiu com a abertura dos envelopes contendo as propostas de cada uma.

AQUÁRIO

Os três primeiros editais para a retomada da construção do Aquário do Pantanal somam R$ 6.679.648,50. O aviso de lançamento de licitação do terceiro edital foi publicado na edição do dia 24 de setembro do Diário Oficial Eletrônico (DOE), no valor de R$ 4.434.413,03. O montante será para a conclusão do revestimento de alumínio composto dos forros internos (do auditório e biblioteca) e das monocapas. Para concorrer, as empresas interessadas precisavam retirar o material até o dia 25 de outubro na sede da agência, localizada na avenida Desembargador José Nunes da Cunha, bloco 14, Parque dos Poderes.

Iniciada em 2011, a obra está parada desde de 2014 e sofre o desgaste em decorrência do tempo e do abandono. Orçada inicialmente em R$ 84.749.754,23, a obra inacabada já consumiu mais de R$ 240 milhões do cofre do governo do Estado.

Em um novo levantamento, realizado no ano passado, foi apontado que seriam necessários R$ 39 milhões para recuperar o que foi danificado com o tempo e concluir a construção.

Instalado no Parque das Nações Indígenas o centro de pesquisa contará com 32 tanques (24 internos e oito externos) da ictiofauna pantaneira (peixes e répteis), mais de 5,4 milhões de litros de água e um sistema de suporte à vida com condições reais do habitat.

O objetivo é fazer do espaço um centro de referência em pesquisas e, para isso, o empreendimento também terá um museu interativo, biblioteca, auditório com capacidade para 250 pessoas, sala de exposição e laboratórios de pesquisa para estudantes, cientistas e pesquisadores.

Felpuda


Dois pedidos de desculpas, de autorias diferentes, foram assuntos muito comentados nas redes sociais com críticas ácidas às suas declarações, até porque os envolvidos não só os usaram despropositadamente, como tiveram de voltar a eles para se redimirem. Um deles, inclusive, quase criou uma crise política da-que-las, o que obrigou seu pai, figurinha carimbada, a pular miúdo para colocar panos quentes sobre a questão. Essa gente!...