Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 13 de novembro de 2018

Esvaziando a tropa

Em um ano, 600 policiais militares
pedem para ir à reserva no Estado

Temor com reforma da Previdência e escalada da violência estão gerando debandada

24 AGO 2017Por DA REDAÇÃO07h:00

Enquanto a Polícia Civil projeta cenário de melhorias por causa do concurso público que vem sendo realizado para os cargos de delegado, escrivão e investigador, a Polícia Militar vive realidade diferente.

Com deficit de aproximadamente quatro mil policiais, a corporação vê o efetivo se enxugar ainda mais por causa da aposentadoria em massa.

Segundo a Associação de Cabos e Soldados da PM e Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (ACS/MS), no último ano, 600 policiais anunciaram pedido de reserva, o que leva à média de aproximadamente 50 por mês.

Segundo Edmar Soares da Silva, presidente da ACS/MS, o cenário é reflexo das mudanças na regra para obtenção da aposentadoria anunciadas pelo governo federal.

Além disso, o cotidiano mais violento desestimula ainda mais os policiais. Com medo de ser prejudicada, a categoria tenta adiantar os procedimentos burocráticos para obtenção do benefício garantido por lei.

“Temos turmas que ingressaram em meados dos anos 80, já completaram 30 anos e agora querem se aposentar. O policial quer se garantir antes que as novas regras tragam mudanças drásticas”, explicou. É possível que a média de pedidos de reserva aumente mais.

*Leia reportagem, de Renan Nucci, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também