Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SAÚDE

Em MS, 39 municípios estão alerta para dengue, chikungunya e zika

Segundo o Ministério da Saúde, oito cidades têm risco de surto das doenças
12/12/2018 18:42 - GLAUCEA VACCARI


Em Mato Grosso do Sul, 39 municípios, incluindo a Capital, estão em situação de alerta ou risco de surto de dengue, zika e chikungunya, de acordo com o novo Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) de 2018. Conforme divulgado hoje pelo Ministério da Saúde, desse total, 8 estão em risco de surto das doenças.

Os demais 40 municípios do Estado estão em situação satisfatória. A maior parte dos criadouros foi encontrada em depósito de lixo (725), seguida de depósitos de domiciliares (634) e de água (257).

Conforme o último boletim epidemiológico divulgado pela SES, no dia 5 de dezembro, foram notificados  5.527 casos suspeitos de dengue neste ano, no estado. Os registros ainda são menores do que no ano anterior, quando foram contabilizadas 6.201 suspeitas da doença e três óbitos. A queda foi de 13% em relação a este ano. Em 2016, as notificações chegaram a 59.874. 

Em 2018, Três Lagoas é o município com maior número de notificações. Segundo boletim da Secretaria Municipal de Saúde, são 2.443 registros de casos suspeitos, representando mais de 300 casos para cada 100 mil habitantes.  

Também em Três Lagoas ocorreu a primeira morte por dengue neste ano. A vítima foi um menino de 13 anos. Conforme o Hospital Auxiliadora, onde o menino ficou internado, ele deu entrada na unidade na segunda-feira (3) e morreu no dia seguinte.

Já as notificações de febre do Chikungunya somam 683 notificações no ano, com uma morte registrada em Campo Grande. Zika vírus teve 265 notificações, sendo 75 casos confirmados e nenhuma morte. 

Felpuda


Político experiente tem repetido que não é o momento de falar em eleições. O momento é de tensão, de incertezas políticas e econômicas – como se o País fosse uma ilha de preocupações cercada pelo coronavírus por todos os lados. Em Mato Grosso do Sul, onde já se registrou morte pela doença e o número de casos só tende a subir, não poderia ser diferente. “É suicídio político para quem ousar falar em eleição neste momento”, conclui. Só!