Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MALHA FERROVIÁRIA

Em ação, MPF cobra manutenção de ferrovias e estações no Estado

Ação judicial inclui 38 estações do MS
04/12/2019 17:24 - ALÍRIA ARISTIDES


 

O Ministério Público Federal do Mato Grosso do Sul (MPF/MS) ajuizou uma ação civil contra empresas e órgãos públicos responsáveis pela antiga malha ferroviária instalada no Estado. O intuito da ação é responsabilizar as instituições pela manutenção e preservação dos imóveis e da própria via férrea, atualmente alvo de depredação e abandono. 

Na ação estão incluídas 38 estações, localizadas na antiga malha ferroviária que ligava as cidades de Campo Grande, Terenos, Aquidauana, Miranda, Ribas do Rio Pardo e Sidrolândia. 

A ação é direcionada para a empresa Rumo Malha Oeste, antiga América Latina Logística (ALL), Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT), a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a União.  

De acordo com a recomendação do MPF, a empresa Rumo Malha Oeste deve ser responsável pela conservação da via férrea e das antigas estações. Já a ANTT deve assumir a responsabilidade sobre a gestão e fiscalização do contrato de concessão do trecho ferroviário. Ao DNIT, cabe a fiscalização da reparação devida, enquanto que ao Iphan compete receber e administrar os bens ferroviários de valor artístico, histórico e cultural, zelando pela sua guarda e manutenção.

Atualmente, muitos dos prédios incluídos na ação se encontram degradados e abandonados, tanto por ação do homem como da natureza. Entre os problemas citados nos locais, estão o crescimento desenfreado de mato ao redor das estações, pichações nas paredes, furto do ferro dos trilhos e até ocupação por usuários de drogas. Segundo o MPF, a perda dos espaços é um prejuízo inestimável para a história e cultura local, já que as estações desempenharam papel fundamental para o desenvolvimento do Estado. 

Felpuda


Pré-candidato pode estar sendo “fritado” sem ao menos perceber. Redes sociais que têm estreitas ligações com ex-cabecinhas coroadas e que prometeram apoio estão enaltecendo que só certo pré-candidato de outro partido. Quem conhece as ditas figurinhas de, digamos, outros carnavais, acredita que está em curso operação sorrateira para mudar internamente os rumos da futura campanha. Trocando em miúdo: ceder a cabeça de chapa.